Confira o que mudou no Vasco com o retorno de Vanderlei Luxemburgo

LANCE!
·5 minuto de leitura


Desde o início do Brasileirão, o torcedor vascaíno viveu emoções diferentes e uma irregularidade na tabela. O time chegou a liderar a competição sob o comando de Ramon Menezes, e conviver com o fantasma do rebaixamento com o português Sá Pinto. Contudo, com a volta de Vanderlei Luxemburgo, o Cruz-Maltino se afastou do Z4 e voltou a apresentar um bom futebol.

> Confira a tabela atualizada do Brasileirão 2020 e simule os resultados

No entanto, ainda restam seis jogos para que o Gigante da Colina confirme a permanência na elite do futebol brasileiro. O time segue em Atibaia, São Paulo, e se prepara para o duelo decisivo contra o Bahia, domingo, às 16h, em São Januário. Na quarta, Luxa preparou um churrasco com direito a samba para unir ainda mais o grupo. Já nesta quinta, o trabalho foi intenso como pode ser observado no vídeo abaixo.


Aumento da confiança da equipe


Ao longo das últimas semanas, alguns jogadores destacaram o aumento da confiança com a volta do treinador. Para eles, um dos fatores é a passagem de Luxa pelo clube em 2019, e o conhecimento que ele tem do grupo. Em campo, essa questão é notória e o que se vê são atletas com mais entrega e tendo consciência do papel de cada um no esquema tático implementado.

- Claro que não é só minha e do Castan (liderança), há muitos jogadores que podem compartilhar e dividir com os mais jovens as responsabilidades. Ele faz um trabalho de valorização de todos, dá liberdade e responsabilidade para tomar decisões, mas ao mesmo tempo cobrando responsabilidade com todo o processo que envolve esse momento da temporada. É um momento em que não podemos vacilar. Esse conhecimento que ele tem sobre a gente é fundamental nesse momento - disse Fernando Miguel.

Mais intensidade e toque de bola

O treinador voltou restando apenas doze partidas para o fim da competição. Com o resgate da confiança, o time passou a não rifar mais a bola e apresentar um futebol mais qualificado. Apesar do elenco apresentar limitações, o Gigante da Colina tem trabalhado mais a bola a partir da defesa.

Na vitória sobre o Atlético-MG, o terceiro gol foi bastante elogiado pelo treinador, que afirmou que o problema é mais mental e que a equipe sabe jogar bola. Com mais segurança, a intensidade aumentou, com jogadores mais próximos um dos outros e um jogo mais vertical, visando sempre o gol e a vitória.

- Depois de uma derrota de quatro, buscar equilíbrio para enfrentar um adversário que está lá em cima. Conseguimos buscar o equilíbrio para nos recuperarmos. Estou saindo para casa com o sentimento de dever cumprido. O terceiro gol que vocês fizeram é de time que sabe jogar bola, é isso que quero de vocês: joguem bola. Sofrer, sim, vamos sofrer. Mas é isso - disse Luxemburgo aos jogadores após vitória sobre o Atlético-MG.

Vasco - Comemoração
Vasco - Comemoração

Grupo do Vasco está mais unido e confiante (Rafael Ribeiro/Vasco)


Um volante mais fixo para dar segurança à defesa


Nesses seis jogos em que a equipe atuou sob o comando de Luxemburgo, um nome tornou-se peça chave no esquema adotado pelo treinador. Trata-se do jovem Bruno Gomes, de apenas 19 anos, que deu mais segurança à defesa, e liberdade para Léo Gil fazer o corredor pela esquerda.

A pior atuação do time neste momento decisivo foi justamente quando Bruno não esteve em campo. No primeiro tempo da goleada sofrida para o RB Bragantino, o meio-campo Cruz-Maltino não viu a cor da bola e praticamente foi encurralado pelo adversário.

Resgate de atletas importantes

Durante o ano de 2020, alguns jogadores importantes do elenco vascaíno não conseguiram ter regularidade e foram questionados pela torcida. Dois deles tiveram uma forte ligação com Luxemburgo e se destacaram na primeira passagem do comandante pelo clube em 2019: Yago Pikachu e Talles Magno.

O primeiro praticamente não apareceu em 2020, tendo muita dificuldade em repetir a boa temporada do ano anterior. Com a chegada do técnico, o lateral voltou a atuar como ponta, mais à frente, e com movimentos mais por dentro. No esquema, o camisa 22 faz uma boa dupla com Léo Matos pela direita, abrindo o corredor para o companheiro e ficando mais próximo do gol adversário.

Talles Magno, por sua vez, fez uma boa partida contra o Botafogo, mas ainda não conseguiu ser aquele jogador de 2019. De acordo com a visão de Luxa, o atleta precisa recuperar a confiança para resgatar o seu futebol. Para isso, ele pediu calma e usou Gabriel Pec como exemplo.

- É a mesma coisa que falei do Pec. Aí o pessoal pede o Pec. O Talles Magno não perdeu o talento de jogar futebol. Alguma coisa aconteceu que ele mudou o comportamento. Nós temos que dar confiança para que ele reconquiste a confiança e recupere o futebol. Então temos que ter calma para que não perder dois jogadores, o Pec e o Talles - disse Luxemburgo.

Yago Pikachu
Yago Pikachu

Yago Pikachu voltou a jogar bem pelo Vasco (Rafael Ribeiro/Vasco)

Novas oportunidades aos Meninos da Colina

Ao longo de sua vitoriosa carreira, Luxemburgo sempre gostou de utilizar a base dos clubes e revelar jogadores. Com sérios problemas financeiros e um elenco mais escasso, a utilização de pratas da casa tornou-se essencial para o bom desenvolvimento do time. E o comandante tem experiência para compreender o momento certo, evitando queimar um jovem.

Além de Talles Magno, nomes como os de Bruno Gomes, Gabriel Pec e Caio Lopes ganharam novas oportunidades no time. O primeiro tornou-se titular da posição, e não saiu mais do time. Já o segundo tem entrado bem na etapa final das partidas e mostrado ser uma ótima opção ofensiva. O Vasco foi campeão da Copa do Brasil sub-20 e tem uma base forte, mas a transição deve ser feita com calma ainda mais neste momento da temporada.

Gabriel Pec
Gabriel Pec

Gabriel Pec tem entrado bem no segundo tempo (Rafael Ribeiro/Vasco)