Confira declarações dos pilotos após sexta-feira de treinos do GP de Singapura

Redação GP

O primeiro dia de trabalhos de pista do GP de Singapura, 15ª etapa da temporada 2019 do Mundial de F1, terminou como era previsto ao longo da semana: Mercedes na frente, Red Bull relativamente perto e a Ferrari um pouco mais atrás. Lewis Hamilton fechou a sexta-feira (20) de treinos livres na ponta, sendo seguido por Max Verstappen, enquanto Sebastian Vettel completou o top-3, mas 0s818 distante do líder da sessão.

A sequência se repetiu a partir do quarto lugar, com Valtteri Bottas colocando a outra Mercedes à frente da Red Bull de Alexander Albon, enquanto Charles Leclerc, sensação depois de ter vencido os GPs da Bélgica e da Itália, foi apenas o sexto. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Entre os pilotos das equipes da chamada ‘F1B’, Carlos Sainz se destacou e foi o mais rápido, em sétimo, seguido pela Renault de Nico Hülkenberg e a outra McLaren, de Lando Norris, enquanto Pierre Gasly, com a Toro Rosso, completou a lista dos dez primeiros.

Lewis Hamilton foi o mais rápido do dia, com a Red Bull pouco atrás (Foto: Mercedes)


Em contrapartida, a Haas, que acabou de confirmar a permanência de Romain Grosjean ao lado de Kevin Magnussen no ano que vem, foi a grande decepção, andando perto do nível das Williams. Os carros aurinegros da equipe de Kannapolis dividiram as últimas posições com George Russell e Robert Kubica.

A F1 volta às pistas neste sábado com o terceiro treino livre, marcado para 7h (horário de Brasília), enquanto a definição do grid de largada acontece às 10h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL. Siga tudo aqui.

Confira as declarações dos pilotos após a sexta-feira de treinos em Singapura:

Lewis Hamilton, líder: Hamilton fica feliz com sexta-feira em Singapura, mas segue de olho na Red Bull

Max Verstappen, segundo: “Foi um ótimo dia! Testamos várias coisas que acabaram por funcionar bem. A sensação geral dentro do carro foi muito boa, o carro funcionou bem durante as duas sessões. Claro que sempre há coisas que poderiam ser melhores, mas tudo correu bem. Parecemos competitivos, embora Lewis também pareça muito forte. Peguei três ou quatro carros lá [na volta rápida], por isso meu último setor não foi tão bom. Estava pouco mais de uns 0s2 mais rápidos do que antes com os pneus duros, então acho que parecemos fortes de qualquer forma.”

Sebastian Vettel, terceiro: Vettel vê Mercedes “muito forte” em Singapura, mas aposta: “Podemos chegar”

Valtteri Bottas, quarto: Bottas se queixa de carro após dia “difícil” em Singapura: “Duvido que esteja 100%”

Alexander Albon, quinto: “Por ter feito a volta logo depois [de escapar da pista], não foi tão ruim, esperava algo pior. Ainda estou chegando lá, preciso garantir que o carro vai estar bom, então há algum trabalho a ser feito ao longo da noite, então vamos ver amanhã. Travei as rodas uma volta antes e acabei deixando o pneu quadrado. Estava acelerando e travei o pneu de novo, no mesmo lugar. A impressão é boa. Não é uma pista fácil. Há tantas curvas e não há apenas a questão do superaquecimento, mas também os pneus e os freios. Vai ser difícil no domingo, tenho certeza. Ainda não estou tão confiante, mas tenho certeza de que a classificação vai ser divertida.”

Charles Leclerc, sexto: Ainda sem confiança na Ferrari, Leclerc diz que quebra no TL1 “não é desculpa”

Carlos Sainz, sétimo: “Um bom começo de fim de semana aqui em Singapura, melhorando a sensação com o carro passo a passo, tomando as decisões corretas com o acerto e terminando o dia com dois top-10. Precisamos ficar alertas porque as condições aqui mudam muito de sexta-feira para sábado. Amanhã vamos poder encontrar uma pista diferente e uma situação diferente. Vamos trabalhar durante a noite para melhorar o carro e tirar o máximo das nossas chances para a classificação.”

A McLaren viveu uma boa sexta-feira em Singapura (Foto: McLaren)


Nico Hülkenberg, oitavo: “Sempre é complicado em Singapura porque é um circuito que te deixa ocupado e também é muito úmido. Eu me senti confortável nas voltas com pouco combustível e tive um bom ritmo com o carro do jeito que queria. A simulação de corrida foi mais desafiadora e sofri um pouco no TL2. Vamos investigar isso e ver o que está acontecendo. Fora isso, foi uma sexta-feira ok, sem grandes problemas. De acordo com o esperado, vai ser um fim de semana apertado, mas temos um conjunto competitivo para brigar por pontos.”

Lando Norris, nono: “Foi um dia decente. Obviamente, é minha primeira vez aqui e senti que tive velocidade rapidamente. No primeiro treino, especialmente na primeira metade, estava tentando entender a pista, buscando saber as referências, pontos de frenagem, o principal. Então pudemos já começar a trabalhar o carro e fazer algumas melhorias, o que foi bom. O segundo treino foi a primeira vez que rodamos com alta carga de combustível e nos long-runs. Agora temos informações para vermos o que foi bom, o que foi ruim e onde precisamos melhorar, mas foi, no geral, um dia decente e agradável como um todo.”

Pierre Gasly, décimo: “Foi um primeiro dia positivo para nós em Singapura. Fizemos alguns testes, mas nós temos algum trabalho a fazer nesta noite para melhorar. Foi um bom começo de fim de semana ao terminar os dois treinos no top-10 e o ritmo parece bem bom. Acho que vai ser bem complicado na classificação, então vai ser importante encaixar as coisas durante a noite para nos dar a melhor chance amanhã. Estou me sentindo bem no carro, o que é encorajador.”

Daniil Kvyat, 11º: “Tivemos uma sexta-feira tranquila. Conseguimos cumprir com o programa que foi definido para as duas sessões e sabemos que temos algum trabalho a fazer para melhorar nosso equilíbrio para amanhã. Estou feliz com o dia hoje e tenho certeza de que amanhã vamos aprender mais para tentar melhorar o carro um pouco mais. Acho que há mais tempo por vir e vamos fazer o melhor para buscar isso.”

A Haas viveu outro dia difícil na temporada (Foto: Haas)


Daniel Ricciardo, 12º: “O dia de hoje pareceu correr bem. Ainda preciso encontrar tempo nas voltas rápidas, mas não estou muito preocupado. Eu sei que vamos achar ritmo com alguma facilidade, são coisas pequenas. A simulação de corrida foi um pouco mais positiva. O carro certamente está bem, só preciso encaixar tudo. Vamos trabalhar nisso essa noite e analisar os dados. O Nico ficou dentro do top-10 o dia inteiro e isso mostrou o potencial do carro. Eu sabia que seria mais difícil aqui do que em Monza, mas não estamos em má forma.”

Sergio Pérez, 13º: “É sempre fisicamente complicado no carro aqui porque o calor suga muito de você, mas eu curto demais a experiência: é uma pista que te testa como piloto e você tem de construir sua velocidade treino após treino. Ainda temos muito trabalho a fazer, mas acho que nós temos um carro que pode lutar por um lugar no Q3. É sempre positivo trazer novas peças para o carro e nós temos uma enormidade de informações para explorar nesta noite, então vamos poder escolher qual o caminho correto a seguir para amanhã.”

Antonio Giovinazzi, 14º: “Não foi o mais fácil dos dias, especialmente perdendo tempo de pista no primeiro treino, mas no fim conseguimos fazer um bom trabalho na segunda sessão. Como eu esperava, as condições dentro do carro são muito difíceis e senti demais a umidade, especialmente no segundo treino. A pista é um circuito urbano bem característico, muito ondulado e difícil de encontrar a aderência em determinados trechos, mas melhorou com o decorrer das sessões. Estamos bem próximos dos nossos rivais do meio, então o restante do fim de semana deve ser uma batalha bem apertada. Estar no top-10 na classificação vai ser bem importante: ultrapassar é desafiador aqui e, se largarmos mais à frente, temos uma boa chance de continuar lá. Precisamos analisar todas as informações vindas do carro nesta noite, especialmente no que diz respeito às novas atualizações, e garantir que nós temos um carro bom e equilibrado para amanhã.”

Lance Stroll, 15º: “É sempre divertido pilotar aqui. É uma volta muito intensa. Você tem de manter sua concentração, o que não é fácil nesse tipo de condições. Ainda não encontramos o equilíbrio correto do carro e não foi confortável em termos de performance. Ficamos muito perto dos muros para uma sexta-feira em algumas oportunidades, mas, ao mesmo tempo, temos de usar os treinos livres para explorar os limites para o restante do fim de semana. Olhando adiante, temos muito trabalho a fazer e precisamos encaixar tudo para amanhã.”

Kimi Räikkönen, 16º: “É difícil dizer onde estamos já que nosso primeiro treino foi bem confuso. Perdemos toda a energia elétrica e, portanto, a telemetria na garagem, então tive de ficar ali por quase uma hora e perdi um precioso tempo de volta. No segundo treino, tentamos alcançar os demais e melhoramos, mas ainda temos muito trabalho a fazer para amanhã.”

Romain Grosjean, 17º: “Não foi fácil hoje. Sabemos que Singapura é um circuito complicado e que pode expor nossas fraquezas. Tentamos nosso melhor hoje, mas obviamente precisamos trabalhar para amanhã e domingo. No momento, não parece nada fácil. Dito isso, às vezes você encontra algumas coisinhas que contam muito para um tempo de volta, especialmente em um circuito de rua. Vamos trabalhar duro e esperar voltarmos mais fortes amanhã.”

George Russell, 18º: “Curti muito os treinos livres hoje. Singapura é um ótimo lugar para pilotar, mas definitivamente é uma pista difícil, onde é fácil cometer erros. Acho que fizemos um bom trabalho no segundo treino, a volta foi muito bem encaixada e o carro estava se comportando relativamente bem. Temos uma base sólida no momento, mas os tempos de volta provavelmente parecem um pouco melhor do que o nosso verdadeiro ritmo é. Quero aproveitar o desafio de pilotar em Singapura com o calor e a umidade. Se pudermos encaixar tudo amanhã, vamos ser recompensados.”

Kevin Magnussen, 19º: “Foi um pouquinho difícil hoje. Não fomos muito rápidos, escorregamos muito, nada fantástico. Você nunca sabe, talvez as coisas mudem para amanhã, já vimos isso antes, mas é tudo o que podemos esperar. Obviamente, vamos fazer o nosso melhor para ver se podemos encontrar os problemas, mas no momento não parece legal. É muito quente aqui, precisamos de mais frio para o carro, então a especificação aerodinâmica é um pouco diferente por conta disso. Há várias variáveis, várias coisas que podemos jogar com essa falta de performance. Não é fácil dizer essas coisas, mas vamos trabalhar duro durante a noite.”

Robert Kubica, 20º: “Foi quente e bem difícil, mas sabíamos que seria assim ao virmos para cá. É a pista mais complicada, e as condições são desafiadoras. Como de costume, nunca é fácil encontrar a melhor sensação às sextas em Singapura. O primeiro treino não foi ruim, mas não consegui ter a mesma impressão do carro no segundo treino, então vamos ter de ver o que mudamos e por qual motivo o equilíbrio mudou tanto. Vamos ver as informações e avançar a partir daí.”      


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.







Leia também