Sem Brasil, Fiba divulga sedes e calendário da AmeriCup 2017

A Seleção Brasileira está proibida de participar devido a suspensão que a federação internacional aplicou à CBB

A Federação Internacional de Basquete (Fiba) nas Américas divulgou, nesta quarta-feira, que Argentina, Uruguai e Colômbia serão as sedes da AmeriCup 2017. A competição ocorre entre 25 de agosto e três de setembro. O Brasil não participará da competição já que a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) foi suspensa pela Fiba, resultando na proibição do país de participar de eventos organizados pela entidade internacional.

As equipes inscritas no AmeriCup serão divididas em três grupos de quatro Seleções que, posteriormente, serão espalhados entre os três países-sede. O melhor time de cada grupo avança para a fase final, onde de unirão à Argentina, garantida automaticamente por Córdoba ser a sede desta etapa - que ocorre nos dias dois e três e setembro.

- A AmeriCup 2017 representa uma nova era para o basquete continental. As melhores seleções do nosso continente vão competir pelo orgulho de autoproclamar-se o grande campeão das Américas. Estamos muito orgulhosos por anunciar Argentina, Colômbia e Uruguai como sedes desta competição sem precedentes para o nosso esporte no continente. Estamos confiantes de que será um belo espetáculo para os fãs de basquete - afirmou o presidente da Fiba Americas, Usie Richards.

As Seleções que participarão do AmeriCup são: Argentina, Canadá, Colômbia, República Dominicana, México, Panamá, Porto Rico, Uruguai, Estados Unidos, Venezuela e Ilhas Virgens, além de um país sul-americano que ocupará o lugar do Brasil. A divisão dos grupos ocorrerá no dia 20 deste mês, em Buenos Aires (ARG) e será transmitido pelos canais da federação na internet.

CBB divulga novo logo

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) está de cara nova. O departamento de marketing da entidade apresentou, no início desta semana, a nova logomarca, contando com visual que resgata a época de ouro do basquete nacional.

- Esta nova logomarca, que segue as normas estatutárias da CBB, nos remete ao período das nossas maiores gerações e enaltece as principais conquistas do basquete brasileiro, dois mundiais masculinos e um feminino, simbolizadas pelas três estrelas. Além disso, traz o nome ‘Basquete Brasil’, que adotaremos a partir de agora, por sermos o órgão representativo da modalidade no país - explica Guy Peixoto Jr, presidente da entidade.












E MAIS: