Comunidade LGBTQ pode visitar o Catar, mas não tente nos mudar, diz ministro do país

Ministro da Energia do Catar, Saad Sherida Al-Kaabi, durante fórum em Doha

BERLIM (Reuters) - Membros da comunidade LGBTQ podem ir à Copa do Mundo no Catar, mas o Ocidente não pode "ditar" aos cataris no que eles devem acreditar, disse o ministro da Energia do Catar ao jornal alemão Bild.

"Se eles quiserem visitar o Catar, não temos nenhum problema com isso", disse o ministro de Estado para Assuntos de Energia, Saad Sherida Al-Kaabi, sobre a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, falando ao Bild em comentários publicados nesta quarta-feira.

Mas ele disse que o Ocidente quer "ditar o que quiser" ao Catar, onde a homossexualidade é ilegal.

"Se você quer me mudar para que eu diga que acredito em LGBTQ, que minha família deveria ser LGBTQ, que aceito LGBTQ em meu país, que mudo minhas leis e as leis islâmicas para satisfazer o Ocidente, então isso não é aceitável", acrescentou.