Como um teste antidoping rendeu uma camisa de Messi e uma gentileza do 'GOAT'

Goal.com

O meio-campista do Borussia Monchengladbach, Christoph Kramer, relembrou como se obrigou a pedir a camisa de Leo Messi após um confronto na Liga dos Campeões, enquanto ambos esperavam um teste antidoping.

Kramer, na ocasião, ainda era jogador do Bayer Leverkusen e enfrentou a estrela do Barcelona na fase de grupos da Liga dos Campeões de 2015. Os dois foram chamados para os testes após a partida e, apesar do constrangimento da situação, o alemão disse que conseguiu coragem de pedir uma lembrança a Messi e foi recompensado com a camisa do craque.

Em entrevista exclusiva à Goal e ao SPOX , Kramer falou sobre o episódio: "Eu estava sentado ao lado dele e tive que me forçar a pedir sua camisa naquele momento, mas ele apenas acenou com a cabeça e a tirou. Eu disse 'obrigado', ele disse 'magina'. Essa foi a troca da camisa com Messi".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Agora com Monchengladbach, o volante voltou à ação nas últimas semanas, quando a Bundesliga se tornou a primeira grande liga de futebol na Europa a retornar após a pandemia de coronavírus . Seu clube está em quarto na tabela e  enfrenta o Freiburg na sexta-feira, 5 de junho , continuando sua luta pela vaga na próxima Liga dos Campeões.

No fim de semana passado, o clube venceu por 4 a 1 o Union Berlin . Mas, mais do que o resultado, o maior ponto de discussão foi a comemoração do atacante Marcus Thuram, que se ajoelhou depois de marcar seu primeiro gol em solidariedade com os recentes protestos nos Estados Unidos .

Sobre isso, Kramer afirmou: "Eu nem percebi isso no jogo. Somente depois, quando foi amplamente divulgado na mídia e ganhou grandes proporções. A ação de Marcus e a mensagem na camisa de Jadon Sancho não são declarações politicamente questionáveis, mas sim sobre questões que atualmente afetam o mundo inteiro".

"Em nosso estádio, o Borussia Park, também mostramos nossa atitude contra o racismo com uma grande faixa sob o teto do estádio. Mas o comitê de controle da DFB também declarou agora que não haverá procedimentos relativos a declarações de solidariedade e anti-racismo", completou.

Leia também