LANCE! mostra como os reforços do São Paulo podem se encaixar no esquema de Hernán Crespo

LANCE!
·4 minuto de leitura


Uma nova temporada, um novo treinador, nova formação e alguns novos jogadores. O panorama do São Paulo de Hernán Crespo está repleto de novidades. Com um esquema de jogo diferente e reforços de peso, o Tricolor ganhou bons artifícios para o andamento da temporada.

O LANCE! analisa abaixo como cada reforço pode se encaixar no esquema do técnico argentino:


CONFIRA A TABELA ATUALIZADA DO CAMPEONATO PAULISTA DE 2021

Eder

Na formação de Hernán Crespo, o 3-5-2, a equipe joga com uma dupla de ataque, sem utilizar pontas. Essa dupla, atualmente, é formada por Pablo e Luciano. Isso obriga os atacantes a serem mais versáteis, podendo executar uma gama maior de funções.

Sem jogadores de ataque pelos lados, embora os alas cheguem em profundidade em vários momentos, a dupla de frente tem que estar apta a jogar tanto centralizada quanto caindo pelos lados do campo, dependendo do que for exigido.

Luciano é um jogador muito acostumado a essa multiplicidade de funções. Atualmente centroavante no Tricolor, o camisa 11 já foi ponta esquerda em outros momentos da carreira e, frequentemente, recua um pouco para receber a bola e participar da criação das jogadas.

Pablo, por sua vez, vem jogando muito bem na formação de Crespo, tendo maior liberdade para se movimentar por todo o ataque. Entretanto, não executa essas funções também, além de já ter apresentado performances abaixo do esperado jogando mais centralizado. O camisa 9, portanto, tem sua posição ameaçada com a chegada de Eder, atacante brasileiro naturalizado italiano.

O ex-Inter de Milão foi uma das maiores contratações do Tricolor nesta janela e deve assumir a titularidade ao lado de Luciano, justamente por suas características casarem muito bem com o que Crespo espera de seus atacantes.

>> Veja golaços de Eder jogando no futebol italiano

É um jogador que pode atuar centralizado, como um ‘nove clássico’, o artilheiro, mas, ao mesmo tempo, consegue transitar bem pelo campo, podendo cair pelas pontas em diversos momentos, rendendo bem por lá.

Assim, é possível ver uma dupla de ataque com muita colaboração, com Luciano e Eder servindo um ao outro em diversos momentos. Versatilidade e dinâmica, essas são as características que essa dupla de ataque pode entregar ao torcedor.

Miranda

Quanto à chegada de Miranda, é um substituição de jogador que não altera a formação, mas sim agrega qualidade à equipe. O zagueiro deve substituir Bruno Alves na posição mais centralizada do trio de defesa, ou até mesmo Arboleda, pela direita.

Com Miranda, o time ganha maior poder defensivo, além de maior qualidade na saída de bola.

Orejuela

Com a mudança de formação para o 3-5-2, o São Paulo abdicou do uso de laterais, contando na verdadecom alas, que jogam pelas beiradas do campo. No momento, os donos dos setores do Tricolor são Reinaldo (pela esquerda) e Igor Vinícius (pela direita). Entretanto, uma das contratações pode mudar essa escalação, o colombiano Orejuela.

Lateral direito de origem, com muita velocidade e muita ofensividade, Orejuela deve cair como uma luva no estilo de jogo de Crespo. Isso porque, com o esquema de três zagueiros, os alas têm liberdade total para subir ao ataque na fase ofensiva, pois a linha de defesa é numerosa o suficiente para conter possíveis contra-ataques.

Desta forma, é normal ver, no atual time do São Paulo, os alas ganhando profundidade no campo, transformando-se em pontas em vários momentos. Reinaldo e Igor Vinícius são jogadores que, frequentemente, se envolvem nas jogadas de ataque do time. Reinaldo, por exemplo, tem um total de 23 cruzamentos nas quatro partidas em que jogou na função de ala.

Essa ofensividade pode ser observada, por exemplo, nos mapas de calor de Igor Vinícius e Reinaldo.

Mapas de calor de Reinaldo e Igor V.
Mapas de calor de Reinaldo e Igor V.

Mapas de calor de Reinaldo e Igor V. (Foto: Reprodução/SofaScore)

Assim, Orejuela pode se encaixar perfeitamente no lado direito do campo, substituindo Igor Vinícius. O próprio colombiano já falou, em sua apresentação, sobre preferir jogar no ataque, tendo funções mais ofensivas na equipe.

- Sim, eu estou acostumado a jogar de lateral, mas se o professor pedir para eu jogar de ponta, eu faço também. Eu gosto sempre de atacar, de ajudar o time para ir para frente. Então, o que o professor me pedir, vou fazer, para o bem da equipe - comentou Orejuela.

Benítez

Quanto ao argentino Martín Benítez, há uma possibilidade de ajudar a equipe com mais de uma função. O meia trabalha bem tanto como um articulador das jogadas, mais presente no campo de ataque, como pode funcionar como um jogador para iniciar as jogadas, buscando a bola no campo de defesa para sair ao ataque, em progressão.

No Vasco de Luxemburgo, já no final da temporada passada, Benítez fez boas partidas atuando justamente como um meia que subia ao ataque trocando passes. No São Paulo, ao lado de Daniel Alves e dos alas, o argentino conseguiria criar com eficiência, tendo bons companheiros para participar da criação.

>>AO LANCE!, Bruno Rodrigues fala sobre seu primeiro mês no São Paulo

Com um bom esquema tático e reforços que traduzem o estilo de jogo do treinador Hernán Crespo, o São Paulo monta seu elenco para a temporada de 2021. Ainda é possível que mais nomes sejam contratados, embora o presidente Julio Casares já tenha comunicado que, em respeito às finanças do clube, alguns possíveis reforços que foram especulados, como Gabriel Neves, Borré e Kanu, não devem fechar com o Tricolor.