Como o xadrez se integrou ao mundo dos eSports

Florian SOENEN
·2 minuto de leitura
(Arquivo) O norueguês Magnus Carlsen, campeão mundial de xadrez

Com milhões de partidas diárias disputadas virtualmente, tanto por amadores como pelos melhores jogadores do mundo, o xadrez conseguiu um avanço espetacular no mundo dos eSports.

Quem foi o jogador de eSports mais bem pago em 2020? O campeão mundial de xadrez Magnus Carlsen, com mais de 500.000 dólares, afirma o site de apostas Esport Unikrn.

O Unikrn colocou o "DrNykterstein", apelido do norueguês, na liderança de sua lista anual graças ao que ele recebeu com a 'Magnus Carlsen Tour', uma série de torneios on-line entre abril e agosto de 2020.

Desde março de 2020, grandes jogadores se enfrentam basicamente no mundo virtual em competições privadas, com frequência organizadas por plataformas de xadrez.

Reforçada pelos confinamentos e o sucesso da série do Netflix "O Gambito da Rainha", a prática de xadrez provocou furor em 2020 na internet, assim como o interesse pelas competições.

Os jogadores encontraram um terreno fértil na plataforma de vídeo Twitch, que o mundo dos jogos eletrônicos usou inicialmente para filmar suas disputas e dar dicas.

Isto despertou o interesse dos grandes nomes dos eSports. As equipes profissionais de xadrez começaram a contratar as figuras emergentes na Twitch, tanto por seus níveis de jogo como por sua condição de influenciadores.

Em agosto 2020, a TSM recrutou o grande mestre americano Hikaru Nakamura, enquanto a Envy contratou as irmãs canadenses Alexandra e Andrea Botez em dezembro.

"Todos os recrutamentos servem para ver como a audiência responde", afirma Pierre Ratier, diretor de eSports da agência Stakrn.

"O potencial do xadrez não foi explorado de maneira suficiente na internet durante muito tempo", explica Florent Gutiérrez, diretor de marketing da equipe de jogadores profissionais Vitality. "É possível tornar as partidas intensas e visuais", adaptando por exemplo o tempo de cada lance, afirma.

"O xadrez é um jogo de estratégia em tempo real, como StarCraft. Há uma fase de abertura e depois é necessário adaptar-se à tática do oponente", explica.

Os jogos de estratégia como Hearthstone, que tem como objetivo destruir a base adversária, também apresentam fortes semelhanças com o xadrez, destaca o sociólogo especializado em eSports Nicolas Besombes.

E se os dois mundos se dão tão bem é porque a relação é antiga.

"Na primeira revista de videogames da década de 1980, Tilt, muitos anúncios tinham referências ao xadrez", especialmente para exaltar o poder de cálculo dos computadores, explica Samuel Vansyngel, que tem doutorado em Sociologia das atividades dos jogadores de eSports.

Os vínculos se aprofundaram ainda mais no último ano, com e-atletas de primeira linha interessados no xadrez. Aproveitando o entusiasmo atual, a plataforma Chess.com organizou um torneio, o PopChamps, no qual personalidades - treinadas por um campeão de xadrez - se enfrentam em tabuleiros virtuais.

fs/jr/jf/mab/mb/fp