Como o setor menos estrelado do Manchester City se tornou a raiz do sucesso do time na temporada

Nathalia Almeida
·3 minuto de leitura

Quando falamos em Manchester City, quais são os primeiros nomes que te surgem à cabeça?

É bastante provável que você tenha pensado em Kevin De Bruyne, sem dúvida a grande estrela do elenco azul hoje. Alguns de seus companheiros de sistema ofensivo, como Riyad Mahrez, Bernardo Silva, Sterling, Phil Foden, Gabriel Jesus e Sergio Agüero também são fortes no imaginário popular. Ederson, por ser brasileiro e estar em grandíssima forma, é apontado de forma unânime como um dos pilares da equipe. Muito justo, por sinal.

Mas a raiz do sucesso dos Citizens na temporada 2020/21 está em um setor que pouca gente comenta, prestigia e analisa: seu miolo de zaga. Stones e Rúben Dias definitivamente não estão entre os jogadores mais badalados do plantel mas, sem eles, é impossível explicar a fase esplendorosa vivida pelo City. Duvida? Vem com a gente...

Stones e Rúben Dias formam uma das melhores duplas de zaga do mundo hoje | Visionhaus/Getty Images
Stones e Rúben Dias formam uma das melhores duplas de zaga do mundo hoje | Visionhaus/Getty Images

Carência mapeada e sanada com sucesso

Não precisamos voltar muito no tempo para lembrar que o miolo de zaga era o "ponto nevrálgico" do Manchester City. Na temporada passada, as inúmeras lesões de defensores dificultaram bastante o trabalho da comissão técnica, levando Guardiola a transitar entre diversas parcerias que não funcionaram bem. Otamendi ainda fazia parte do elenco e, com as baixas de Stones e Laporte em boa parte da temporada, Fernandinho precisou ser improvisado na zaga em múltiplas ocasiões.

O ponto de virada para o clube e para o setor defensivo, portanto, foi a chegada do luso Rúben Dias ao Etihad Stadium. O zagueiro de 23 anos foi um movimento certeiro dos ingleses no mercado de transferências, não apenas por seu talento, mas também (e principalmente) pelo fato de suas características de jogo casarem perfeitamente com o que o City estava procurando.

Rúben Dias já está entre os melhores zagueiros do futebol mundial | Marc Atkins/Getty Images
Rúben Dias já está entre os melhores zagueiros do futebol mundial | Marc Atkins/Getty Images

Sinergia e coragem pra jogar

Com Stones saudável e o recém-chegado Rúben Dias, Guardiola encontrou a dupla de zaga que tanto buscava desde última temporada. A sinergia/sintonia fina exibida pelos novos titulares já nas primeiras partidas de parceria era o presságio para algo ainda maior: além de estancarem a "sangria defensiva" do City - é, hoje, a equipe menos vazada da Premier League (24 gols em 34 jogos) e da Champions (4 gols em 11 jogos) -, se consolidaram como dois dos zagueiros do futebol mundial que mais geram jogo para seus meias e atacantes.

De acordo com os dados levantados pela fbref.com, o lusitano Rúben Dias é o 2º jogador do City com mais passes tentados na temporada (3241), e o 1º em passes completados (3052), uma precisão espetacular de 94,2%. John Stones, por sua vez, é o atleta com melhor aproveitamento total em passes tentados: 94,6%. E se você acha que estamos falando apenas de passes curtos, está enganado: os dois zagueiros somam para 932 tentativas de passes longos (>30 jardas), com 801 acertos. Stones (86,8%) e Dias (86%) têm os maiores aproveitamentos do elenco também nessa estatística. Outro número que impressiona é o fato de Dias ser o segundo jogador do City com mais toques na bola na temporada (3486), atrás apenas do volante Rodri (3561).

Excelente leitura de jogo e enorme entrosamento com os jogadores de frente - já sabem todos os espaços/movimentos que os atacantes buscarão -, fazem destes dois zagueiros muito mais do que meros defensores. São construtores ativos do multifacetado jogo ofensivo do City, visto por muitos como imparável. Definitivamente, a missão do PSG na próxima terça (4) é das mais desafiadoras.

Stones é um dos homens de confiança de Guardiola | Xavier Laine/Getty Images
Stones é um dos homens de confiança de Guardiola | Xavier Laine/Getty Images