Como Nenê retomou o protagonismo na reta final da temporada no Fluminense

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


Mesmo com os altos e baixos, o Fluminense acabou se tornando uma das equipes mais regulares deste Campeonato Brasileiro em termos de resultados. Nessa reta final, são cinco partidas sem perder e uma chance de 99,9% de classificação à Libertadores, o maior objetivo da temporada. Um dos problemas da equipe de Marcão vinha sendo a criação e a lentidão no meio-campo. O treinador optou por barrar Nenê, colocando Michel Araújo, mas viu o rendimento do time aumentar nas últimas partidas com o meia de titular.

> Veja as contas atualizadas para título, G6 e rebaixamento no Brasileirão

O primeiro jogo que a comissão técnica decidiu sacar Nenê foi o clássico com o Flamengo, que, apesar do primeiro tempo ruim, acabou resultando em uma virada por 2 a 1. Na ocasião, ele ficou fora até do banco por um quadro de gastroenterite. Depois, foi reserva na derrota por 5 a 0 contra o Corinthians (entrou no intervalo), na vitória sobre o Sport e no empate com o Coritiba (entrou em ambas já nos 10 minutos finais). Mas veio a lesão de Michel Araújo, dando uma nova chance ao camisa 77.

Na primeira partida, contra o Botafogo, o jogador não conseguiu ser decisivo atuando mais solto em apresentação ruim do time, apesar da vitória. Foi contra Goiás e Bahia, porém, que Nenê brilhou e relembrou o jogador que resolvia para o Fluminense no início desta temporada. Deu duas assistências, para Nino no primeiro e para Luiz Henrique no segundo, além da importância tática para a criação.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

Somando ao desempenho antes da queda técnica pela qual Nenê passou, o meia é, de acordo com números do "Footstats", o líder em gols marcados (8), participações diretas (11), finalizações totais (52), finalizações certas (22) e assistências para finalização (37) do Fluminense neste Brasileirão.

Em números totais da temporada, Nenê tem 20 gols marcados, sendo o artilheiro isolado, e cinco assistências, atrás apenas de Egídio, com nove, e Marcos Paulo, com sete. Além disso, outros dados interessantes, o meia fez três gols em clássicos e foi responsável por duas vitórias do Flu marcando no final (Cabofriense e Corinthians), além das viradas contra Internacional e na Copa do Brasil contra o Figueirense no jogo de volta.

É preciso ponderar que, apesar dos números, houve motivos para Nenê ter sido barrado anteriormente. O principal deles era a lentidão do meio-campo, especialmente jogando ao lado de Hudson e Fred. Marcão conseguiu encaixar o meia e o centroavante nas últimas duas partidas. Muito disso se dá pela mudança entre os volantes, com Martinelli e Yago Felipe ajudando a segurar a defesa e fazendo a transição ao ataque, possibilitando o camisa 77 a chegar por dentro.

Nenê ainda terá quatro partidas neste Brasileirão para encerrar a temporada em alta novamente. Criticado pela torcida, o jogador busca retomar a regularidade para ser protagonista nesse time do Fluminense rumo à Libertadores. O Flu volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, contra o Atlético-MG, às 21h30, no Maracanã.