Como funciona a nova corrida sprint da Fórmula 1 em 2022

·2 min de leitura
Valtteri Bottas venceu a prova sprint da Fórmula 1 em Interlagos na temporada passada. Foto: Pool/AFP via Getty Images
Valtteri Bottas venceu a prova sprint da Fórmula 1 em Interlagos na temporada passada. Foto: Pool/AFP via Getty Images

Depois de passar pelo Bahrein, Arábia Saudita e Austrália, a Fórmula 1 chega à Itália para o Grande Prêmio de Imola, no próximo fim de semana.

Diferente das três primeiras provas da temporada que foram disputadas em formato regular com três treinos, uma qualificação e a disputa do Grande Prêmio. Agora, em Imola, a corrida de sprint será disputada pela primeira vez na temporada, no sábado.

Leia também:

Ao contrário de 2021, onde se chamava classificação de sprint e determinava a pole position, para este ano o dono da primeira posição será quem predomina na classificação.

Na sexta-feira, apenas uma sessão de treinos livres de uma hora será realizada na sexta-feira e depois será a vez da classificação dividida em Q1, Q2 e Q3, como a que normalmente é feita aos sábados para escolher o grid.

Enquanto isso, no sábado haverá uma sessão de treinos livres que será anterior à corrida de sprint, que está programada para 21 voltas.

Por fim, no domingo, como é tradicional, será realizado o Grande Prêmio, que terá 63 voltas.

Formato da corrida sprint mudou de 2021 para 2022

Após a revisão e análise da Fórmula 1 do formato em três eventos no ano passado, vários ajustes foram introduzidos para esta temporada, após o feedback de fãs e equipes.

Ímola, Red Bull Ring e Interlagos sediarão as três corridas em 2022, depois que Silverstone, Monza e Interlagos realizaram o trio inaugural no ano passado.

Os pontos oferecidos em cada corrida sprint aumentaram em relação ao ano passado. O vencedor agora soma oito pontos, em vez de três, com a premiação se estendendo até o oitavo colocado, quando anteriormente eram apenas os três primeiros que conquistavam pontos. Os pontos valerão para os campeonatos mundiais de pilotos e construtores.

Os pontos serão atribuídos da seguinte forma: primeiro oito pontos, segundo sete pontos, terceiro seis pontos, quarto cinco pontos, quinto quatro pontos, sexto três pontos, sétimo dois pontos e oitavo um ponto.

Este ano, o piloto que fizer o melhor tempo no Q3 da qualificação na noite de sexta-feira receberá o status de pole position para o GP, independentemente de sua posição final na corrida sprint no sábado.

Isso significa que o piloto que vencer a corrida sprint não será necessariamente creditado com o pole position do GP, mesmo que comece a corrida de domingo em primeiro lugar.

Por exemplo, se o melhor classificado de sexta-feira terminou em segundo lugar na corrida sprint, e o piloto que se classificou em segundo ganhou a corrida sprint, o melhor classificado de sexta-feira ainda será creditado com a pole position, apesar de começar o GP do segundo lugar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos