Como as estatísticas ajudam a entender por que o Flamengo foi campeão

O Globo
·2 minuto de leitura

Apesar da temporada instável, com troca de técnico e de ter assumido a liderança do Campeonato Brasileiro apenas na penúltima rodada, o Flamengo, que se sagrou bicampeão, mesmo com derrota no jogo final, teve desempenho nas estatísticas de quem merecia a taça.

O Flamengo liderou o levantamento de gols marcados, grandes chances de gol, dribles bem sucedidos, e ficou em segundo no ranking de finalização por jogo, posse de bola, passes certos e desarmes por jogo. Permaneceu entre os três melhores times quando o assunto foi cruzamentos precisos por jogo, segundo dados compilados pelo aplicativo SofaScore.

O time de Gabigol e companhia marcou 68 gols no campeonato, mais do que qualquer time. Ficou à frente do Atlético-MG (64), Internacional (61) e São Paulo (59) e Fluminense (55). Também teve mais chances de marcar, segundo o levantamento. Foram 128 tentativas. Novamente, o Atlético MG (94) e o Internacional (81) apareceram entre os três mais ofensivos.

Extamente por ter sido o time com mais chances de gol, o Flamengo também perdeu mais vezes possibilidades de colocar a bola na meta rival. Foram 87 chances perdidas. Atlético-MG (55), Palmeiras (44), São Paulo (43) e Bahia (42) completaram o Top 5.

O campeão de 2020 teve 13,2 dribles bem sucedidos por jogo, ficando à frente de Grêmio (11,9), Vasco (11,1) e Fortaleza (11,0). E terminou em segundo lugar nos desarmes por jogo (16,3), atrás do Red Bull Bragantino (16,5).

O time de Rogério Ceni só teve menos posse de bola do que o time de Jorge Sampaoli. O Flamengo teve 60,6% de bola no pé e o Atlético-MG, 60,9%. O São Paulo apareceu depois com 57,1%.

A equipe mineira, que garantiu a terceira colocação na competição, com 68 pontos, também liderou as estatísticas de passes certos, com 479, à frente do Flamengo, com 465. E de finalizações por jogo (12,6 contra 11,5 do Flamengo).

Teve ainda melhor desempenho que os cariocas nos cruzamentos precisos por jogo. Ficou em segundo lugar com 5,6 e o Flamengo, em terceiro, com 5,1. O São Paulo foi o mais eficiente neste quesito: 5,8.

Destaque individual, o meia Arrascaeta liderou o ranking de assistências e grandes chances criadas.