Como Diego se tornou fundamental na virada do Flamengo

André Schmidt
LANCE!
Diego entrou na vaga de Gerson na decisão (Foto: Divulgação/Flamengo)
Diego entrou na vaga de Gerson na decisão (Foto: Divulgação/Flamengo)


É indiscutível que, com os dois gols marcados no 2 a 1, Gabigol foi o nome mais decisivo do Flamengo na grande final da Libertadores 2019. No entanto, um jogador que veio do banco de reservas também foi crucial para o rubro-negro conseguir virar o jogo sobre o River Plate: Diego.

Com Gerson sentindo dores musculares, o camisa 10 foi o escolhido de Jorge Jesus para comandar a saída de bola. E o fez com eficiência. Enquanto o canhotinho conseguiu apenas 19 passes certos em 66 minutos em campo - e quatro errados -, o meia, jogando mais recuado, tirou de Arão o peso da saída de bola, facilitando a transição.

Foram 12 passes certos e um lançamento que culminou no gol do título em menos de meia hora em campo. Jogando um terço do tempo do camisa 15, Diego teve 2,38% de posse contra 3,66% do atual titular. Números que mostram o quão participativo foi o jogador mesmo em tão pouco tempo.

A partir de sua entrada, a posse da equipe da Gávea subiu de 46,4%, aos 15 do 2º tempo, para 66% aos 30, segundo dados do Footstats. Era o Fla escapando da marcação alta e começando a ganhar o meio-campo após a entrada do apoiador, que passou a ser o dono das ações na transição. Fruto também, é verdade, das saídas de Nacho Fernández e Borré, que reduziram a pressão alta dos argentinos, até então a principal arma de Gallardo no jogo.





Diego, porém, não só melhorou a qualidade na ligação entre defesa e ataque como aumentou a combatividade. Com dois desarmes, deixou o campo como o segundo maior ladrão de bolas do time, ficando atrás apenas de Rafinha, com três. Além disso, conseguiu ainda uma interceptação de passe, exatamente no início da jogada que culminou no gol de empate. Na sequência, Arrascaeta roubou a bola, Bruno Henrique puxou pelo meio e Gabigol marcou.

Ainda que por força do acaso - a lesão de Gerson -, a entrada de Diego acabou se tornando preponderante no triunfo do Flamengo. Furou a linha alta do River, deu mais posse ao rubro-negro e foi fundamental no lance que definiu o 2 a 1. Certamente um dos grandes nomes da histórica decisão.

DIEGO CONTRA O RIVER PLATE
- Dados do Footstats

24 minutos em campo
0 gols
0 passes para gol
1 assistência para finalização
​1 finalização para fora
12 passes certos
2 passes errados
​2 desarmes certos
1 interceptação errada
2,38% de posse de bola















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também