Como Denis foi de vilão a herói em menos de uma semana

JOSÉ EDUARDO MARTINS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Denis foi do vilão a herói em menos de uma semana. Depois da derrota para o Palmeiras por 3 a 0, no sábado (11), o goleiro passou a ser o principal alvo das críticas dos são-paulinos. Com uma boa preparação mental, ele deu a volta por cima na quarta-feira (15) ao fazer uma importante partida e ajudar o Tricolor a garantir o empate por 1 a 1, com o ABC, em Natal.

Mas para conseguir contribuir com o time dentro de campo, o arqueiro teve de trabalhar pesado. Nos últimos dias, ele até que tentou se esquivar das polêmicas, porém, a situação ficou quase insustentável.

Os questionamentos surgiram de todas as partes. Torcedores reclamaram e xingaram por meio de redes sociais. Até mesmo figuras importantes na história do clube, como o ex-goleiro Waldir Peres reclamaram das falhas do goleiro. Tal fato mexeu com o brio do jogador.

Por outro lado, Denis pôde contar com o apoio de pessoas importantes. O técnico Rogério Ceni e o preparador de goleiros Haroldo Lamounier fizeram questão de dar moral para o pupilo. Em nenhum momento a dupla cogitou a possibilidade de colocá-lo no banco de reservas por conta da atuação no clássico. Nos treinos, Ceni também sempre que possível elogiava o ex-colega.

Para reforçar o aspecto emocional, o goleiro intensificou as conversas com o seu coach, o psicólogo José Paulo Lagana. Até mesmo os pontos que poderiam ser aperfeiçoados durante a partida, ele abordou com o analista.

Quando chegou em Natal, na terça-feira, o goleiro também conseguiu respirar um pouco mais aliviado. A torcida local fez questão de incentivar o goleiro desde o desembarque na cidade.

Agora, Denis deve ter alguns dias a mais para treinar e ganhar uma trégua das críticas. No sábado, contra o Ituano, o técnico Rogério Ceni vai implantar o sistema de rodízio entre os goleiros e escalar Renan Ribeiro no time titular.