Como a Copa do Mundo de 2006 mudou a carreira de Cristiano Ronaldo

Goal.com

A carreira de Cristiano Ronaldo é de dar inveja a qualquer um. Com uma lista de títulos e de prêmios individuais quase interminável, o português já conquistou praticamente tudo em sua carreira, com exceção à Copa do Mundo. 

A melhor colocação que CR7 conseguiu em um mundial foi um quarto lugar, em 2006. Nesta edição do torneio, disputada na Alemanha, a seleção de Portugal, comandada por Luiz Felipe Scolari, igualou sua melhor participação na competição, igualando a campanha de 1966, que contava com Eusébio como craque do time. 

E para Gary Neville, ídolo do Manchester United, foi justamente na Copa do Mundo de 2006 que Cristiano Ronaldo conseguiu dar uma virada em sua carreira para subir de patamar. O ex-jogador, que atuou com o atacante por seis temporadas, afirmou que o crescimento do português depois daquele mundial foi meteórico.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Já naquela temporada, 2006/07, ele foi impressionante. Ele estava pegando fogo por dentro, tinha fome”, destacou para a Sky Sports

“A vontade de Cristiano é de outro mundo. Há anos que não via um jogador semelhante em Old Trafford. Ele estava incrivelmente motivado. Eu o conhecia mais profissionalmente do que pessoalmente, mas repito, seu desejo não é deste mundo", completou.

Com certeza, igualar uma marca de Eusébio, o grande ídolo português antes de CR7, ajudou Ronaldo a aumentar ainda mais sua ambição por títulos e marcas individuais. Com 21 anos na época, ele estava recebendo o bastão de Luís Figo, que estava em fim de carreira, para ser o grande jogador de sua geração.

Cristiano Ronaldo| Portugal | 2006
Cristiano Ronaldo| Portugal | 2006
Foto: Ross Kinnaird/Getty Images

Então, já em 2008, ele conquistava sua primeira Bola de Ouro. Depois disso, o gajo viu Lionel Messi ser eleito o melhor do mundo por quatro temporadas seguidas, mas seguiu trabalhando forte e levou o prêmio mais quatro vezes.

Ao longo das seis temporadas que atuou com Cristiano, Gary Neville pôde acompanhar de perto esse lado do português e sua busca incessável pela evolução constante como jogador. 

“Ele tinha uma obsessão por marcar gols, aplicando-se todos os dias para ser o melhor. Ele estava aumentando seu nível a cada ano”. 

Até por isso, o ex-lateral dos Red Devils acredita que o craque da Juventus vai continuar jogando para buscar os números de Pelé e tentar se tornar o maior de todos os tempos.

“Não tenho dúvidas de que ele vai querer continuar jogando e superar os números de Pelé. Ele quer ser o melhor de todos os tempos e, por sua vez, garantir que as equipes para as quais ele joga tenham sucesso”.

Depois de igualar a melhor campanha de Portugal em uma Copa do Mundo e se firmar como um dos melhores jogadores de todos os tempos, Ronaldo colocou seu nome ainda mais na história após conquistar o título inédito da Eurocopa por seu país. 

Se ele vai conseguir dar uma Copa do Mundo a Portugal ninguém sabe. Mas se isso acontecer, um outro mundial pode representar mais uma mudança de patamar para Cristiano Ronaldo.

Leia também