Comitê de ética do COI abre investigação sobre pagamento suspeito de ligação com Rio

Reuters
Logo da Rio 2016 visto no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. 10/08/2016 REUTERS/Kai Pfaffenbach

Logo da Rio 2016 visto no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro

Logo da Rio 2016 visto no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. 10/08/2016 REUTERS/Kai Pfaffenbach

LONDRES (Reuters) - A comissão de ética do Comitê Olímpico Internacional (COI) começou a investigar uma acusação sobre pagamentos envolvendo um importante membro do COI pouco antes de o Rio de Janeiro ser eleito em 2009 como sede dos Jogos de 2016, informou o COI nesta sexta-feira.

O jornal francês Le Monde disse nesta sexta que procuradores estão investigando pagamentos ao ex-velocista da Namíbia, membro do COI e membro do conselho da Federação Internacional de Associações de Atletismo (Iaaf) Frankie Fredericks e a Papa Massata Diack, filho do ex-chefe da Iaaf Lamine Diack, que atualmente está sob investigação por acusações de fraude e corrupção.

Os pagamentos foram feitos pouco antes da votação em 2009 em Copenhague para decidir o local dos Jogos de 2016.

"O COI continua totalmente comprometido em esclarecer esta situação, trabalhando em cooperação com a Procuradoria (da França)", informou a organização em comunicado.

"Até onde envolve o sr. Fredericks, ele informou ao COI e explicou a situação e enfatizou sua inocência imediatamente após ser contatado pelo jornalista. O COI confia que o sr. Fredericks irá trazer todos os elementos para provar sua inocência contra estas acusações feitas pelo Le Monde", acrescentou.

"Imediatamente após uma ligação ser feita entre o pagamento contratual e a votação para a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016, o sr. Fredericks foi à Comissão de Ética do COI, que agora acompanha todas as acusações para esclarecer totalmente esta questão".

(Reportagem de Karolos Grohmann)

Leia também