Comissão de Atletas se posiciona contra o ranking da Superliga

Nesta quinta-feira, a Comissão de Atletas de Voleibol de Quadra divulgou um comunicado oficial posicionando-se sobre o sistema de ranking de jogadores utilizado nas Superligas masculina e feminina.

Em nota de esclarecimento, a Comissão de Atletas anunciou que se posiciona contrária à continuidade do ranqueamento de atletas, após reunião realizada no dia 14 de março.

A Comissão é formada por André Heller (presidente), Gilmar Nascimento Teixeira (vice-presidente), Ricardo Lucarelli, Fabiana Alvim de Oliveira e Renata Colombo (membros), e tem como uma de suas funções a representação dos atletas do vôlei nacional, além de ser independente e autônoma em relação à Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

Dessa maneira, a Comissão não concorda com a continuidade do ranqueamento de atletas na Superliga, na qual jogadores são divididos de acordo com seu desempenho, e cada clube não pode ter um determinado número de atletas com o nível máximo.

No masculino, os times não podem ultrapassar um limite de pontos, de acordo com os rankings dos atletas. Recentemente, a CBV anunciou que, para a próxima temporada da Superliga feminina, apenas as jogadoras de número sete, valor mais alto, continuarão se enquadrando no ranking da competição, enquanto os times estão liberados para contar com todas as outras atletas.

As nove atletas de ranking sete, então, Dani Lins, Fabi, Fernanda Garay, Gabi, Jaque, Natália, Sheilla, Tandara e Thaisa, não concordaram com a decisão da entidade e enviaram uma nota de repúdio à CBV, que rebateu as críticas.