Comissão Atlética critica atuação de árbitro lateral na luta principal do UFC 209: "Inaceitável"

bob bennett - Rigel Salazar

É consenso que a luta principal do UFC 209, realizada no ginásio T-Mobile Arena em Las Vegas (EUA) no último sábado (4), ficou abaixo das expectativas. A revanche entre Tyron Woodley, detentor do título dos meio-médios (77 kg), e Stephen Thompson foi monótona até o minuto final do quinto e último assalto, quando o campeão partiu para cima e quase nocauteou o desafiante. E foi justamente a pontuação de um dos juízes laterais, que marcou nesse round um 10 x 8 a favor do wrestler, que gerou insatisfação por parte do diretor executivo da NSCA (Comissão Atlética do Estado de Nevada).

Bob Bennet surpreendeu os jornalistas após o final do card ao aparecer na coletiva de imprensa pós-evento e se colocar à disposição para responder perguntas e analisar a pontuação de Sal D’Amato, juiz responsável pelo 10 x 8 no último assalto. Ele indicou que, até o minuto final, Thompson levava a melhor e detinha a vantagem mínima a seu favor no round. O que, na sua opinião, impossibilitaria o resultado de dois pontos para o campeão – já que, de acordo com o executivo, o placar aplicado serve apenas em casos de vantagem clara e ampla.

“Naquele último round Thompson levava a melhor com um 10 x 9, e restavam apenas mais 45 segundos de luta. Não poderia ter ido de outra maneira, foi 10 x 9 e eu responderei as perguntas. Um juiz marcou 10 x 8 [Sal D’Amato], nós seguimos em frente, respiramos fundo… Mas esse resultado foi inaceitável. Não teria interferido no resultado oficial do combate, mas, apenas para compartilhar com vocês, nós certamente tentamos fazer o melhor. Não sei o que se passou, mas aquele juiz deveria ter pontuado 10 x 9, porque você não pode ganhar três pontos em apenas 50 segundos. Ele [juiz] se perdeu, mas aquilo não interferiu no resultado final”, analisou Bennet.

A pontuação de Sal D’Amato não interferiu diretamente na decisão do combate,  já que ele foi o único que não apontou resultado em favor de Tyron Woodley ao final dos cinco assaltos. Derek Cleary e Chris Lee, os outros juízes laterais, anotaram a vitória do campeão por um ponto de diferença, o que foi contestado por Dana White, presidente do Ultimate. De acordo com o cartola, Thompson teria feito por merecer o título dos meio-médios.