Comissão Atlética aprova nova multa para atletas que não baterem o peso

Johny Hendricks é um dos atletas que tem dificuldades para bater o peso - Diego Ribas

Os problemas enfrentados por atletas durante o processo de perda de peso fazem parte da rotina do MMA, e isso por vezes garante o cancelamento de combates, adiamento de lutas e até casamentos em categorias combinadas de última hora. Por isso, a CSAC (Comissão Atlética do Estado da Califórnia) aprovou uma nova regra que aumentará a multa aos atletas que não baterem o limite de suas categorias e que agora incidirá sobre o bônus da vitória. O que, para Andy Foster, diretor executivo da entidade, é uma medida que prioriza a saúde dos lutadores.

Atualmente, os atletas que não batem o peso antes das lutas perdem 20% de suas bolsas, dos quais metade vai para seu adversário e a outra parte para a comissão. Já com a multa que incide sobre as premiações após o combate, o procedimento será diferente e a taxa de 20% será destinada integralmente para o oponente do atleta que não alcançar o limite de peso de sua divisão.

“Os lutadores irão tirar todas as vantagens que conseguirem. Eles estão olhando para nós em busca de ajuda. Eles não estão querendo perder 13 kg, eles não querem fazer isso. A única razão para fazerem é porque seu adversário fará. […] Estou preocupado em alguém morrer nesse segmento por uma razão ruim. Esse é um ponto sem sentido para arriscar sua vida”, relatou o diretor executivo em entrevista ao site ‘MMA Fighting’.

Muitos atletas já apresentaram problemas de saúde decorrentes de processos bruscos de perda de peso, como os brasileiros Renan ‘Barão’, ex-campeão dos galos (61 kg), e Cristiane ‘Cyborg’, lutadora do Ultimate. Antes dessa nova regra, o banimento da reidratação via soro também passou a ser adotado.

Vale lembrar que a mudança será válida apenas para evento supervisionados por esta comissão atlética. No entanto, demais comissões podem ou não seguir essa indicação para unificarem regras e normas no futuro.