Comissão aceita denúncia contra ex-presidentes de poderes do Vasco; arquivada acusação contra Campello

LANCE!
·2 minuto de leitura


Os bastidores da política do Vasco seguem agitados. Nesta segunda-feira, a comissão de Inquérito aceitou a acusação de que três ex-presidentes de poderes do Vasco teriam descumprido o estatuto do clube. Roberto Monteiro, do Conselho Deliberativo, Silvio Godoi, do Conselho de Beneméritos, e Edmilson Valentim, Conselho Fiscal, foi alvo de investigação por ser favorável à exclusão de sócios anistiados da lista de votantes da eleição realizada no ano passado. A informação foi divulgada primeiro no "GE".

A Comissão, porém, arquivou denúncia contra Alexandre Campello, ex-presidente da Diretoria Administrativa, além de Roberto Monteiro, Silvio Godoi e Edmilson Valentim em outra questão: a inclusão de associados que não estavam recadastrados na relação para lista de votantes no pleito.

> Confira quantos jogos como profissionais têm as crias do Vasco!

A responsabilidade está nas mãos do Conselho Deliberativo. Carlos Fonseca deve convocar sessão até o fim do mês para que o tema seja apreciado. Caso haja entendimento de que Monteiro, Godoi e Valentim devem ser punidos, penas previstas no artigo 35 do estatuto são de advertência, suspensão por até seis meses ou, em último caso, eliminação do quadro social do Cruz-Maltino.

Monteiro, Godoi e Valentim receberão notificação e poderão apresentar defesa por escrito, uma medida facultativa. Conforme o Regimento Interno mostra, cada um tem assegurados 30 minutos para se defenderem na sessão do CD que avaliará o assunto.


O impasse aconteceu quando a Junta Eleitoral permitiu a inclusão de sócios em três categorias (benfeitor remido, remido e campeão) na lista. Eles estavam inativos por não terem atendido ao recadastramento de 2018. Campello, Monteiro, Godoi e Valentim se manifestaram a favor da alteração. Na mesma reunião, a Junta aprovou a exclusão de associados da categoria geral anistiados em 2018.

Na mesma reunião, a Junta Eleitoral aprovou a exclusão da lista dos associados da categoria geral que haviam sido anistiados em 2018. Monteiro, Godoi e Valentim foram favoráveis e, neste caso, Alexandre Campello se opôs. Então presidente da Assembleia Geral, Faues Cherene Jassus, o Mussa, foi contra as duas modificações.