Comentarista pede para Diniz insistir com convicções e o compara com Telê

LANCE!
·2 minuto de leitura


Fernando Diniz é um técnico com convicções do 'futebol moderno' e um estilo de jogo ofensivo. Desde que surgiu o treinador divide opiniões pela sua forma de jogar e suas derrotas costumam ser mais comentadas do que suas vitórias. E a passagem pelo São Paulo não tem sido diferente. Após a eliminação para o Lanús, na última quarta-feira, o treinador voltou a dividir as opiniões nas 'mesas redondas' esportivas.

Depois de uma passagem de altos e baixos no Fluminense, o treinador acertou com o São Paulo. Diniz classificou o time para a Libertadores e terminou o Brasileirão 2019 com a melhor defesa. Em 2020, apesar das eliminações na Libertadores e Sul-Americana, além do vexame no Paulista, o São Paulo é o 5º colocado no Brasileiro e, novamente, possui a melhor defesa do torneio, e também está nas quartas da Copa do Brasil.

- Os gols que o São Paulo têm tomado não são mais só por causa da linha alta. O que talvez seja até pior. Tem oito caras dentro da área e ninguém tira. É o Diniz? O Diniz não joga. Ele não pode pôr o pé ali, especificamente naquele lance, no fim de jogo ontem. Ele não tem culpa. Ele teria mais mérito no 4 a 2 por ter ficado sem zagueiro. Assim como ele já tinha feito no Fluminense, naquele histórico 3 a 3 contra o Cruzeiro, em que ele acaba perdendo nos pênaltis também - disse Celso Unzelte, no BB Debate, da ESPN Brasil.

Mesmo com a vitória por 4 a 3 sobre o Lanús, no Morumbi, o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana. O Tricolor chegou a conseguir o 4 a 2, que era necessário para classificar, aos 45 minutos do segundo tempo. No entanto, o Lanús marcou aos 49 e "roubou" a vaga, aproveitando-se de uma falha da defesa tricolor. As falhas defensivas do time costuma ser as principais críticas sobre o estilo de jogo de Diniz, no entanto, Celso Unzelte fez um pedido e o comparou com Telê Santana.

- Ele precisa dar uma virada na carreira. Eu ainda acredito porque eu vi o Telê Santana virar de 'pé frio' a 'mestre'. Acho que é um caso parecido: um homem apegado às suas convicções. Insista, Diniz! Monstros são esses caras que querem segurar o 1 a 0, o 0 a 0, esses que devoram o futebol pela raiz - finalizou.