Comentarista chama atitude do Flamengo de 'golpe político' e dispara: 'Landim é um Eurico com grife'

LANCE!
·3 minuto de leitura


O comentarista Breiller Pires, da ESPN Brasil, proferiu fortes críticas ao comportamento da diretoria do Flamengo, que buscou uma liminar junto ao TJD-RJ para transmitir a partida da final da Taça Rio contra o Fluminense, mesmo que o mando de campo seja do rival das Laranjeiras.

Durante o 'Futebol na Veia' desta quarta-feira, o jornalista citou algumas contradições institucionais recentes da diretoria de Rodolfo Landim para citar a postura adotada pelos dirigentes na briga jurídica desta quarta-feira.

- Surpreende a postura do TJD como a postura do Flamengo. Vamos lembrar do ano passado quando o Flamengo foi proibido de forma arbitrária pela CBF e pelo Ministério Público de ter torcedores visitantes no Allianz Parque no jogo contra o Palmeiras, alegando falta de segurança e a rivalidade entre os dois clubes. O Flamengo soltou um manifesto protestando pelo direito do torcedor, e um manifesto com razão. Na mesma semana, o Flamengo não vendeu ingressos para o Avaí no Maracanã, se apegando a uma coisa, uma burocracia que o Avaí não tinha pedido ingressos com antecedência, uma coisa que é praxe dos clubes que é reservar ingressos para visitantes. Se contradizer nessas posturas institucionais tem se tornado praxe da diretoria do Flamengo e se contradiz agora, quando vira o líder da MP do futebol, que na verdade vem sendo chamada de MP do Flamengo, agora dá uma rasteira no seu rival - afirmou Breiller.

O jornalista foi além. Em seu comentário, Breiller classificou a atitude do Flamengo como 'golpe político' e comparou as atitudes e a postura do presidente Rodolfo Landim com Eurico Miranda, falecido ex-presidente do Vasco da Gama e um dos dirigentes mais polêmicos da história do futebol brasileiro.

- O que aconteceu, para mim, é um golpe político capitaneado pelo Flamengo, pela diretoria do Flamengo. A gente precisa ser bem claro nesse momento porque o Flamengo manifestou essa intenção. E a partir do momento em que há um golpe político, me faz lembrar as práticas da velha cartolagem. O Landim quando chegou a diretoria do Flamengo prometeu uma gestão moderna, práticas novas, falando que era um gestor novo. O que tem de novo nisso aí? Para mim, não tem diferença nenhuma de Eurico Miranda. Para mim, não só por isso mas por várias atitudes do ponto de vista do institucional, o Landim é um Eurico Miranda com grife, um Eurico Miranda gourmetizado. Não tem diferença nenhuma. Se estivesse vivo no comando do Vasco, o Eurico teria tomado atitudes muito parecidas com as do Landim. Pra mim, é o cartola novo que já nasceu velho com práticas viciadas. Apesar de todo o mérito na gestão financeira, na gestão do futebol, no ponto de vista institucional, a gestão Landim não cansa de envergonhar os torcedores rubro-negros - completou.

Mesmo com o direito obtido na justiça, o Flamengo anunciou através de uma nota oficial que, para garantir o desejo do torcedor, só irá transmitir a partida caso o Fluminense e a Globo decidam não fazê-lo. A Globo rescindiu o contrato com a competição, mas o Tricolor anunciou ao longo do dia que iria fazer a transmissão através de seu canal oficial no Youtube.