Comendo pelas beiradas, Wendel larga atrás e cresce rápido no Flu de Abel

Wendel começou a temporada de 2017 com pé esquerdo mas não demorou muito para conquistar espaço no Fluminense. Logo na segunda semana do ano, ainda nas categorias de base, perdeu para o Juventus-SP e foi eliminado precocemente da Copa São Paulo de Futebol Junior. A competição era a grande chance de mostrar seu futebol para, quem sabe, ser promovido ao elenco profissional.

No entanto, com elenco reduzido e sem reservas para a posição de Douglas como 2º homem de meio campo, Abel Braga decidiu observar o garoto, que completava atividade no CT Pedro Antonio. Em uma semana de treinos, o jogador de 19 anos encantou o técnico e foi prontamente inscrito no Carioca. A primeira viagem com o elenco foi para Porto Alegre, na derrota por 1 a 0 contra o Internacional, pela Primeira Liga. Na época, Abel revelou que gostaria de ter visto o atleta em campo, mas a situação do jogo não permitiu.

A chance veio dez dias depois, com o time todo reserva, pelo Carioca. Cinco jovens da base tiveram a oportunidade de estrear no profissional e Wendel chamou atenção. A boa partida o credenciou como alternativa para um esquema mais ofensivo. Depois, iniciou mais quatro jogos com a equipe alternativa e entrou em duas oportunidades no time titular - ambas no intervalo.

No clássico de domingo, seu primeiro Fla-Flu profissional, o camisa 37 brilhou. Foram três roubadas de bola importantes, bons passes e chegadas ao ataque com perigo. Na última delas, dominou na entrada da área, bateu de chapa e teve sorte de desviar e enganar o goleiro adversário. O primeiro gol da carreira deixou o moleque de Xerém 'sem palavras' e encheu a torcida de esperanças. Do 'laboratório' de Abel na Taça Rio, Wendel, certamente, é o maior experimento para temporada.





E MAIS: