Com um a menos, Cruzeiro vence o Sampaio Corrêa no Maranhão

Valinor  Conteúdo
·3 minuto de leitura


A Raposa marcou seu tento logo no início do jogo, mas outra vez optou por uma postura reativa na maior parte do jogo e ainda contou com a perda de Pottker, expulso, prejudicando o time, que jogou quase toda a segunda etapa com um homem a menos.

O time maranhense não conseguiu a igualdade por estar em uma noite ruim no seu ataque, principalmente com o artilheiro Caio Dantas, que não vai às redes há mais de um mês.

Com o triunfo, o time azul voltou para a 11ª posição, com 44 pontos, ficando a oito pontos da zona do rebaixamento. Já o Bolívia Querida caiu para 9º, com 45, se distanciando do G4.

Cruzeiro rápido no ataque abre o placar

A Raposa estava mais solta no início da partida e foi para cima do Sampaio Corrêa. Em menos de três minutos, abriu o placar com William Pottker em boa articulação do ataque celeste. A equipe do Maranhão conseguiu equilibrar o jogo, mas a postura dos mineiros foi mais ativa, do que reativa, esperando o rival para contra-atacar.

Felipão opta por três volantes após o gol

A presença do meia Giovanni, com mais ritmo de jogo, deu ao meio de campo do Cruzeiro melhor distribuição da bola, algo que faltou em várias partidas do time azul. Mas, Felipão não manteve a formação com um armador o jogo inteiro, optando por três volantes mais uma vez, sem tentar segurar um estilo de jogo que equilibrava mais a equipe na defesa e principalmente no ataque.

CONFIRA A TABELA DA SÉRIE B ATUALIZADA

Descontrole emocional e duas expulsões

O segundo tempo foi bem complicado para o Cruzeiro. O Sampaio Corrêa, indo atrás do empate, pressionava. E, com a postura reativa que Felipão voltou a ter, com três volantes, deixou a equipe mais frágil na transição da defesa para o ataque. Para piorar, Willian Pottker, em dois momentos de irresponsabilidade, tomou um cartão amarelo por uma falta.

Em seguida, reclamou com a arbitragem e foi expulso. Giovanni seguiu o mau exemplo e, mesmo no banco, levou o cartão vermelho. A Raposa ficou descontrolada na etapa final de jogo, reclamando muito e se esquecendo de jogar.

Arbitragem virou alvo das duas equipes

O trio comandado por Paulo Henrique Schleich Vollkopf não agradou ao Cruzeiro, nem ao Sampaio Corrêa. As duas equipes reclamavam de cada marcação de campo. A Raposa questionou as expulsões de Pottker e Giovanni e os maranhenses de uma suposta penalidade não marcada, do zagueiro Paulo.

No sufoco, o Cruzeiro consegue os três pontos

Jogando com dez jogadores desde os cinco minutos do segundo tempo, a Raposa sofreu pressão do Sampaio Corrêa, que não virou o jogo pela incompetência do seu ataque, que chegava na área celeste, mas não conseguir arrematar ao gol de Fábio. Assim, a equipe de Felipão volta a vencer na Série B e segue lamentando os pontos “bobos” perdidos, que poderiam lhe garantir o acesso.

Próximos jogos

A Raposa volta a campo na quarta-feira, 13 de janeiro, às 21h30, contra o Oeste, no Independência. Já o Bolívia Querida joga na terça-feira, 12, às 19h15, contra o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

FICHA TÉCNICA DA PARTIDA

SAMPAIO CORRÊA 0 X 1 CRUZEIRO
Data e horário: 08/01/2021, às 21h
​Local: Castelão, em São Luís (MA)
Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Cícero Alessandro de Souza (MS)
Cartões amarelos: Willian Pottker(CRU), Filipe Machado (CRU), Eloir(SAM), Fábio (CRU)
Cartões vermelhos: Willian Pottker(CRU), Giovanni(CRU)
Gol: William Pottker, aos 3’-1ºT(0-1)

SAMPAIO CORRÊA (Técnico: LEONARDO CONDÉ)

Gustavo; Joazi(Roni, aos 34’-2ºt), Joécio, Daniel Felipe e João Victor(Eloir, aos 14’-1ºT); André Luiz, Vinícius Kiss(Jackson, aos 18’-2ºT) e Marcinho; Roney, Caio Dantas e Robson Duarte(Diego Tavares, aos 34’-2ºT).

CRUZEIRO (Técnico: Luiz Felipe Scolari)

Fábio; Raúl Cáceres, Cacá(Paulo, aos 25’-2ºt), Ramon e Matheus Pereira(Patrick Brey, aos 25’-2ºT); Adriano, Filipe Machado e Giovanni(Jadsom-intervalo); Airton(Marcelo Moreno, aos 19’-2ºT), William Pottker e Rafael Sobis (Welinton, aos 13’-2ºT).