Com a Sul-Americana no caminho, Vasco tem 15 dias antes de estreia na Taça Rio

Vasco se prepara para o duelo pela Sul-Americana, na próxima quarta-feira (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Vasco se prepara para o duelo pela Sul-Americana, na próxima quarta-feira (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)


Fora da Taça Guanabara, o Vasco terá uma sequência importante de dias para tentar encontrar a melhor formação para a equipe. Mesmo com uma competição a menos, o único jogo no meio desse período é decisivo para a equipe continuar sonhando com coisas grandes na temporada. Na quarta-feira, encara o Oriente Petrolero (BOL), pelo jogo de volta da Copa Sul-Americana. Os próximos 15 dias serão de ajustes para o técnico Abel Braga.

O elenco desembarcou de volta no Rio de Janeiro nesta quinta-feira, no final da tarde. Nesta sexta o grupo folga. Sábado e domingo os comandados de Abel iniciam os treinamentos pensando na Sul-Americana no CT do Almirante e viajam na segunda para Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, sem atividades antes. A cidade tem uma altitude de apenas 428 m acima do nível do mar.

Portanto, além de sábado, domingo e terça-feira, antes da partida da competição continental, o Vasco, que volta da Bolívia na quinta, dia 20, terá uma semana de descanso e treinos antes de enfrentar o Resende. A partida é válida pela primeira rodada da Taça Rio, no dia 29, atualmente marcado para o Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. A expectativa é que o jogo de volta da Copa do Brasil seja no dia 4 de março.



Na pré-temporada, o Vasco teve apenas 11 dias para se preparar antes da estreia contra o Bangu, no dia 19. Jogadores e o treinador criticaram o calendário apertado e desta vez o time terá um pouco mais de tranquilidade para trabalhar. As principais dúvidas atualmente são no meio-campo e no ataque.

Para a Taça Rio, o Cruz-Maltino terá os volantes Fredy Guarín e Fellipe Bastos de volta ao elenco. Os dois não estão inscritos na Sul-Americana, ao contrário do zagueiro Ricardo Graça. O jovem esteve com a Seleção Brasileira Sub-23 no Pré-Olímpico e retornou aos treinos nesta quinta-feira. Ele pode ser opção na zaga e na lateral-esquerda, posição ainda instável por conta das atuações ruins de Henrique.

Sobre possíveis contratações, o Vasco segue analisando o mercado e monitorando atletas. A situação financeira delicada dificulta as negociações. Os três jogadores afastados, Bruno César, Claudio Winck e Rafael Galhardo, devem ser negociados de fato. Havia a possibilidade deles retornarem, mas a diretoria optou por continuar buscando alternativas fora do clube.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também