Com 'sim' de Nenê, SP tenta acordo com Vasco

Yahoo Esportes
<em>Nenê tenta rescisão amigável de seu contrato com o Vasco (Jorge Rodrigues/Gazeta Press)</em>
Nenê tenta rescisão amigável de seu contrato com o Vasco (Jorge Rodrigues/Gazeta Press)

Sem acerto com Ganso e Scarpa, o São Paulo já tem um novo alvo para o lugar de Hernanes. Trata-se de Nenê, do Vasco. O meia, de 36 anos, foi contactado pela diretoria recentemente e aprovou a ideia de trocar São Januário pelo Morumbi. Agora, o Tricolor estuda como tirar o veterano do Vasco.

Existe até a chance de Nenê chegar de graça. É que seus representantes informaram ao São Paulo que o Vasco deve mais de três meses de direitos de imagem, além de uma série de outras verbas. Dias atrás, pelo mesmo motivo, o zagueiro Anderson Martins conseguiu sua rescisão com os vascaínos e fechou com o Tricolor.

Se o novo presidente Alexandre Campello não aceitar a saída de Nenê sem custos, em troca do perdão da dívida, o presidente Leco cogita tentar um acordo. Porém, com uma ressalva: sem dinheiro envolvido. O São Paulo cogitaria ceder jogadores por empréstimo ao clube carioca por uma temporada, período em que Nenê ainda tem vínculo com o Vasco.

O veterano é dono do maior salário do elenco vascaíno, na casa dos R$ 380 mil mensais. Na temporada passada, em baixa com o então técnico do time, Milton Mendes, Nenê quase deixou São Januário. E um dos destinos cogitados foi o São Paulo, porém Rogério Ceni barrou a contratação por entender que o meia tem pouca velocidade.

Oferta recusada: O São Paulo também está tentando a contratação de Trellez, porém o Vitória já disse “não” à primeira proposta, de R$ 2 milhões à vista e R$ 4 milhões parcelados em três parcelas – tais valores seriam referentes a 60% dos direitos econômicos do colombiano.

Os baianos condicionaram o negócio a uma oferta de R$ 6 milhões por 60%, porém com pagamento integral feito à vista. Assim como Nenê, Trellez também se empolgou com a possibilidade de defender o São Paulo e faz força nos bastidores para que o negócio saia. “Infelizmente, virou moda fazer isso. Os clubes procuram primeiro o jogador e depois tentam contratá-lo do outro clube”, lamenta um dirigente do Vitória.

Tal procedimento já havia sido adotado nesta janela de transferências por Corinthians e Santos em relação a Trellez. Só que, em ambas, não existiu acordo com o Vitória.

Reserva, não: A necessidade de contratar um jogador para o meio-campo se tornou ainda mais evidente no São Paulo ao longo desta terça-feira, depois que Cueva se recusou a viajar para enfrentar o Mirassol. O motivo: ele foi avisado que não seria titular e decidiu permanecer na cidade, se excluindo do jogo.

Por trás da decisão do peruano, há uma queda de braço com a diretoria para que ele seja vendido. Além de uma proposta do Al Hilal, da Arábia Saudita, ele também está nos planos do Boca Juniors, que ficou de enviar proposta nos próximos dias.

O Blog apurou que o São Paulo segue convencido a não vendê-lo antes da Copa do Mundo.

Por meio de seu Instagram, Cueva escreveu: “Aos torcedores do São Paulo, gostaria de esclarecer a minha ausência da partida contra o Mirassol: estou tão comprometido com o clube que na última partida não estava programado eu ir para o jogo, e eu pedi para ir para ajudar o São Paulo, pois vínhamos de uma derrota. Esperava começar jogando amanhã (nesta quarta-feira), para estar bem de ritmo e fisicamente para o jogo contra o Corinthians, porém por opção da comissão técnica eu ia no banco de reservas, então me pareceu que não sou importante para o time, e pedi para não viajar e analisar as propostas que chegaram para mim. Estou à disposição sempre para ajudar esse grande clube, jogando.”

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui:

Leia também