Com restrições pela Covid-19, praticantes de swing transferem atividades para lugares públicos

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Parque da Cidade é um dos pontos preferidos em Brasília - Foto: Agência Brasília
Parque da Cidade é um dos pontos preferidos em Brasília - Foto: Agência Brasília

As restrições impostas pela escalada da Covid-19 em todo o Brasil obrigaram os mais diversos setores da sociedade a se adaptarem. Com os praticantes de swing, não foi diferente. As casas específicas para a atividade estão fechadas, o que fez com que eles a transferissem para locais públicos.

É o que tem acontecido em Brasília, por exemplo. De acordo com o site Metrópoles, os praticantes da capital federal têm encontrado formas de driblar o lockdown determinado pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Leia também:

Se as casas de swing não estão disponíveis, estes casais se reúnem em estacionamentos, parques, áreas com churrasqueiras, entre outros locais ao ar livre para atos sexuais rápidos e discretos, sem chamar a atenção da fiscalização.

A principal sede destes encontros em Brasília é o Parque da Cidade. Mais especificamente, as churrasqueiras. “É um lugar que durante a noite, mesmo sem a pandemia, fica extremamente deserto. Se tiver um casal lá, a notícia corre rápido pelos grupos e logo aparecem outros”, explicou um dos praticantes ao Metrópoles.

Os encontros vão contra o lockdown decretado no último dia 8, com duração prevista até a próxima segunda-feira. O Distrito Federal já registrou 5.116 mortos pela Covid-19, com 317.880 infectados.