Com renovações, equipes antecipam preparação para temporada 2020 da F1

Editorial
Grande Prêmio

Os testes de inverno da Fórmula 1 vão ter início em 19 de fevereiro, no já tradicional palco das atividades de pré-temporada, em Barcelona, na Espanha. Portanto, as equipes do Mundial seguem a todo vapor nos trabalhos de finalização dos novos carros, que vão ser apresentados ao público dias antes do início dos trabalhos na Catalunha. Contudo, chamou a atenção neste período de fim/começo de ano os movimentos de Ferrari e Red Bull para segurar suas joias por mais um bom tempo. As renovações de contrato com Charles Leclerc e Max Verstappen deram aos times rivais da Mercedes mais tranquilidade e perspectivas mais positivas de lutar contra a Mercedes e, principalmente, Lewis Hamilton, que já parte como favorito ao heptacampeonato mundial nesta temporada 2020.

Ainda no que diz respeito aos contratos, Hamilton tem três caminhos a seguir: continuar com a Mercedes por mais algum tempo — com a possibilidade de assinar um novo contrato, válido até 2022, pelo estratosférico valor de R$ 400 milhões —, se mudar de mala e cuia para a Ferrari — cenário que foi bastante debatido nos últimos meses de 2019 —, ou então encerrar sua laureada carreira nas pistas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Neste período de recesso para os fãs da F1, que vão ter de aguardar até 15 de março pela primeira corrida de 2020 no Mundial, uma boa alternativa é recorrer ao simulador oficial da categoria. Muitos jovens e adultos aceleram no jogo de eSports da F1, sendo que uma boa parcela compete em vários campeonatos profissionais, que oferecem prêmios que passam dos R$ 100 mil aos vencedores. Quem gosta de apostar tem também a chance de lucrar com tais torneios, com as apostas disponíveis no Vulkanbet.com.

Lewis Hamilton e Charles Leclerc: dois grandes concorrentes ao título de 2020 (Foto: AFP)


Na luta contra a Mercedes, a Red Bull assegurou a permanência de Verstappen no time dos energéticos ao menos até 2023. A escuderia taurina tem no jovem e talentoso holandês o grande trunfo para voltar ao topo da F1 dez anos depois de iniciar uma dinastia que durou quatro temporadas e resultou em oito títulos mundiais: quatro de Pilotos, com Sebastian Vettel, e outros quatro do Mundial de Construtores.

Mas Verstappen não é a única grande arma da equipe de Milton Keynes para desafiar Mercedes e Lewis Hamilton. O encaixe perfeito entre o chassi desenvolvido por Adrian Newey e o motor Honda — marca que renasceu depois dos anos de calvário com a McLaren — e o bom Alexander Albon proporcionam um conjunto dos mais interessantes para que os comandados de Christian Horner e Helmut Marko possam, de fato, aspirar ao título mundial em 2020.

A Ferrari, por sua vez, vive um momento de transição. A renovação com Leclerc, anunciada às vésperas do Natal passado e com contrato novo durando até o fim de 2024, mostra quem de fato é o novo primeiro piloto em Maranello. Sendo assim, como vai ser o tratamento dispensado a Vettel, que foi contratado pela Ferrari em 2015 justamente para ser ‘o cara’ capaz de levar a escuderia italiana de volta aos títulos? No ano passado, o primeiro da dupla formada por Leclerc e Vettel, a temporada foi marcada por uma série de polêmicas e incidentes entre os dois, culminando com a batida que tirou os pilotos do GP do Brasil nos minutos finais.

Lewis Hamilton tem em Max Verstappen um dos grandes adversários na F1 (Foto: F1)


No fim das contas, são todos contra a Mercedes e Lewis Hamilton. A equipe hexacampeã mundial de F1, em razão da estabilidade do regulamento, larga com vantagem para manter uma dinastia que já dura desde 2014, ano que marcou o início da era híbrida de motores do Mundial.

Hamilton tem nas mãos a chance de igualar Michael Schumacher e chegar aos sete títulos mundiais, além de superar o alemão em estatísticas como o maior número de vitórias e em pódios. Com mais oito triunfos, Lewis vai ser o recordista na estatística, com o britânico precisando de apenas cinco troféus para ser o piloto com mais top-3 na história do Mundial.

Como se vê, a batalha da F1 em 2020 se desenha em uma batalha de Hamilton contra os jovens Verstappen e Leclerc. Façam suas apostas.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.







Leia também