Com pressa para sair do país, Weintraub precisa de aprovação para ocupar cargo no Banco Mundial

Yahoo Notícias
Abraham Weintraub deixou o ministério da Educação depois de pouco mais de um ano no posto (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Abraham Weintraub deixou o ministério da Educação depois de pouco mais de um ano no posto (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O Banco Mundial confirmou que Abraham Weintraub foi indicado para ocupar um cargo de diretor, decisão tomada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No entanto, o ex-ministro da Educação ainda terá de passar pela aprovação de um grupo de países.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Em nota, o Banco explicou que o cargo do ex-ministro consiste em representar o Brasil no Conselho de Diretor Executivos do Banco Mundial. O grupo do Brasil ainda tem Colômbia, Equador, Filipinas, República Dominicana, Panamá, Haiti, Suriname e Trindad e Tobago. São esses os países que tem de aprovas a indicação do ex-ministro.

Se aprovado, Abraham Weintraub ficaria no cargo até o dia 31 de outubro, quando acaba o atual mandato. Depois, haverá uma outra eleição e os países deverão fazer novas nomeações.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Segundo informações do blog da Ana Flor, do portal G1, o salário do ex-ministro no Banco Mundial seria de 250 mil dólares ao ano, ou seja, mais de 1,3 milhão de reais.

Leia também

Abraham Weintraub deixou o ministro da Educação na última quinta-feira, 18, e afirmou que está preocupado com a segurança da família. Mesmo dependendo da aprovação para ocupar o cargo, o ex-ministro afirmou que quer sair do Brasil o mais rápido possível. Para trabalhar no Banco Mundial, ele deverá morar em Washington, nos Estados Unidos.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também