Com ou sem Diego Costa, Atlético-MG recebe Palmeiras e sonha com a final da Libertadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Diego Costa do Atlético Mineiro se machucou no jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores entre Palmeiras e Atlético Mineiro no Estádio Allianz Parque em São Paulo, em 21 de setembro de 2021 (AFP/FERNANDO BIZERRA)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A palavra de ordem é esperar o machucado Diego Costa até o último minuto. Com ou sem o hispano-brasileiro, a aspiração do Atlético-MG é a mesma: vencer o atual campeão Palmeiras nesta terça-feira e se classificar para a final da Copa Libertadores.

O atacante, um dos muitos reforços de peso do Galo para 2021, é dúvida para o jogo de volta da semifinal do principal torneio de clubes da América, que será disputado no Mineirão de Belo Horizonte às 21h30 (horário de Brasília).

O ex-jogador da seleção espanhola, de 32 anos, deixou o campo no jogo de ida, que terminou 0 a 0, aos 10 minutos do segundo tempo devido com dores na parte posterior da coxa esquerda.

Costa não foi escalado para o jogo de sábado, no Brasileirão, em que o Atlético empatou em 0 a 0 fora de casa com o São Paulo. E sua presença é incógnita como a de duas outras peças valiosas do poderoso ataque do time mineiro, também com problemas físicos: o venezuelano Jefferson Savarino e Keno.

"Ainda falta muito tempo [para o início do jogo]. Os três estão evoluindo muito bem. Não descartaria nenhum deles. Vamos esperar até o último momento", disse o técnico Cuca.

A ausência de três atacantes seria uma dor de cabeça para qualquer treinador, mas Cuca tem várias opções para atormentar o 'Verdão' do português Abel Ferreira.

O artilheiro Hulk vai comandar o ataque do Galo, líder do Brasileirão, com o apoio dos argentinos Matías Zaracho e Ignacio Fernández. Sem Costa, Hulk poderá liderar, abrindo espaço para o chileno Eduardo Vargas na ponta.

- Defesa menos vazada -

Apesar de não ter vencido em casa, para o Palmeiras um gol é suficiente para complicar a vida do Atlético, que contará com o apoio de cerca de 18 mil espectadores para se aproximar do seu segundo título da Libertadores, após o conquistado em 2013 sob o comando de Cuca e com Ronaldinho Gaúcho.

O trabalho, porém, não parece fácil. A defesa do Galo é a menos vazada da Libertadores, com três gols sofridos em onze jogos. Nem mesmo os poderosos Boca Juniors e River Plate conseguiram marcar contra o time mineiro.

"Enfrentamos um time cascudo, que fez investimento muito grande, mas com nossas armas e inteligência, vamos procurar entrar competitivos. Nosso objetivo é estar na final, afirmou Abel Ferreira.

Questionado por setores da imprensa e adepto do seu estilo conservador, semelhante ao do compatriota José Mourinho, Ferreira tem um paliativo no bicampeonato da Libertadores após uma série de derrotas no campeonato brasileiro, em que o time ocupa o segundo lugar, oito pontos atrás do líder.

No sábado, perdeu por 2 a 1 para o Corinthians no clássico paulista, jogo em que poupou diversos titulares para deixá-los em forma para a semifinal.

Ao Palmeiras de Weverton, Gustavo Gómez e Rony estão basta um empate com gols para se classificar pela segunda vez consecutiva à final, em que o vencedor do confronto enfrentará o vencedor do duelo entre Flamengo e o equatoriano Barcelona.

O 0 a 0 leva a uma decisão nos pênaltis e os três pontos classificam o vencedor para a grande final no estádio Centenário de Montevidéu, no dia 27 de novembro.

"Somos os atuais campeões e vamos defender o título com unhas e dentes", avisou o português.

Possíveis escalações:

Atlético-MG: Everson - Mariano, Junior Alonso, Nathan, Guilherme Arana - Allan, Jair - Matías Zaracho, Ignacio Fernández, Hulk - Diego Costa (Eduardo Vargas). Técnico: Cuca.

Palmeiras: Weverton - Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan, Joaquín Piquerez - Danilo, Zé Rafael - Wesley, Raphael Veiga, Dudu - Rony. Técnico: Abel Ferreira.

Árbitros: O colombiano Wilmar Roldán acompanhado de seus auxiliares compatriotas Alexander Guzmán e Jhon León.

raa/app/ol/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos