Com o estilo de jogo apoiado, Marcelo Cabo busca implementar um futebol mais ofensivo no Vasco

LANCE!
·5 minuto de leitura


Desde a chegada do técnico Marcelo Cabo, o Vasco tem se comportado de maneira diferente em campo. O novo comandante tem tentado implementar um estilo de jogo apoiado, mais ofensivo, que procura a posse de bola com triangulações e jogadas mais verticais. Esses primeiros jogos estão voltados à montagem da equipe e uma linha de pensamento, que tem agradado os jogadores.

> Confira a classificação do Campeonato Carioca


De acordo com os números do portal 'Footstats", o Cruz-Maltino tem criado mais jogadas de perigo e finalizado com mais frequência sob o comando de Cabo. Essa mudança se deve ao estilo de jogo e ao padrão tático que vem sendo implementado, substituindo o futebol reativo de ligação direta e a falta de criatividade no meio-campo que imperou na temporada 2020.

> Confira mais notícias sobre o Vasco da Gama

- Quanto ao jogo apoiado é uma característica que gosto na minha equipe. Eu não gosto de time que joga com bola longa, ou só com a segunda bola. Isso é circunstância do jogo. Eu gosto de time que jogue aproximado, setorizando o jogo, posicional, com tabelas, triangulações e ocupação de espaços. E que a gente possa criar espaços, trocando corredores, com ultrapassagens dos laterais, com muita profundidade - salientou Marcelo Cabo, que segue invicto com 3 vitórias e cinco empates na temporada.

É necessário destacar que é o início de um trabalho e que o Vasco tem enfrentado times inferiores tecnicamente no Carioca e na Copa do Brasil. Contudo, é uma evolução importante perante um time ainda em formação. Comparado aos números do Gigante da Colina com Sá Pinto e Luxemburgo, as diferenças ficam ainda mais evidentes. Os dois treinadores traziam esquemas mais reativos e o time apelava para a bola longa.

A equipe se reforçou, trouxe peças importantes como Ernando, Zeca e Marquinhos Gabriel. Entretanto, Léo Jabá e Morato atuaram apenas alguns minutos e Vanderlei ainda irá estrear. A estrutura inicial é de jogadores da base e remanescentes de 2020. E a tendência é de crescimento quando todos os reforços pontuais estiverem em condições de jogar os 90 minutos.

Marcelo Cabo - Vasco
Marcelo Cabo - Vasco

Cabo defende o estilo de jogo apoiado (Reprodução / Vasco TV)


Diante dos números, o que se pode observar é um Vasco que finaliza com mais frequência, chega com mais jogadores na área e procura triangulações. A posse de bola é outro detalhe importante, visto que a equipe só não foi superior nesse quesito contra o Tombense. A filosofia tem agradado os atletas, que constantemente citam a mudança de postura da equipe em 2021.

– É uma filosofia que o Marcelo trouxe com ele. É pouco tempo de trabalho, mas já conseguiu passar algumas coisas para gente. Temos jovens jogadores que assimilam as coisas rapidamente, além de alguns jogadores experientes, já com know how grande no futebol brasileiro - disse Léo Matos ao site oficial do clube carioca, e acrescentou.

- Mudamos nosso estilo de jogo, que antes era reativo. Hoje priorizamos a posse de bola, e isso me agrada muito mais. Corremos menos atrás e ficamos com a bola, consequentemente o jogo fica mais agradável e bonito. Alguns resultados não foram condizentes com nossas atuações, mas é um início de trabalho, as coisas estão andando bem – declarou o lateral-direito.

Números ofensivos do Vasco sob o comando de Cabo

Campeonato Carioca

Nova Iguaçu 2 x 2 Vasco - 57% de posse de bola - 6 finalizações certas;
Vasco 1 x 1 Botafogo - 57% de posse de bola - 5 finalizações certas;
Vasco 3 x 1 Macaé - 64% de posse de bola - 11 finalizações certas;
Vasco 2 x 2 Madureira - 57% de posse de bola - 6 finalizações certas;
Fluminense 1 x 1 Vasco - 51 % de posse de bola - 5 finalizações certas;
Vasco 4 x 2 Bangu - 54% de posse de bola - 8 finalizações certas.

Copa do Brasil

Tombense 1 x 2 Vasco - 49% de posse de bola - 4 finalizações certas;
Caldense 1 x 1 Vasco - 54% de posse de bola - 4 finalizações certas.

Números ofensivos do Vasco com Luxemburgo

Atlético-GO 0 x 0 Vasco - 59% de posse de bola - 6 finalizações certas;
Vasco 0 x 1 Coritiba - 57% de posse de bola - 3 finalizações certas;
RB Bragantino 4 x 1 Vasco - 50% de posse de bola - 4 finalizações certas;
Vasco 3 x 0 Botafogo - 56% de posse de bola - 8 finalizações certas
Vasco 3 x 2 Atlético-MG - 33% de posse de bola - 4 finalizações certas;
Palmeias 1 x 1 Vasco - 47% de posse de bola - 4 finalizações certas;
Vasco 0 x 0 Bahia - 49% de posse de bola - 5 finalizações certas;
Flamengo 2 x 0 Vasco - 42% de posse de bola - 3 finalizações certas;
Fortaleza 3 x 0 Vasco - 56% de posse de bola - 3 finalizações certas;
Vasco 0 x 2 Internacional - 58% de posse de bola - 0 finalização certa;
Corinthians 0 x 0 Vasco - 42% de posse de bola - 1 finalização certa;
Vasco 3 x 2 Goiás - 54% de posse de bola - 13 finalizações certas.

Números ofensivos do Vasco com Ricardo Sá Pinto

Vasco 1 x 2 Corinthians - 60% de posse de bola - 8 finalizações certas;
Goiás 1 x 1 Vasco - 49% de posse de bola - 1 finalização certa;
Caracas 0 x 0 Vasco - 50% de posse de bola - 4 finalizações certas.
Vasco 0 x 1 Palmeiras - 44% de posse de bola - 3 finalizações certas;
Sport 2 x 0 Vasco - 39% de posse de bola - 4 finalizações certas.
Vasco 1 x 0 Caracas - 57% de posse de bola - 4 finalizações certas;
São Paulo 1 x 1 Vasco - 34% de posse de bola - 3 finalizações certas;
Vasco 0 x 0 Fortaleza - 43% de posse de bola - 4 finalizações certas;
Vasco 1 x 4 Ceará - 64% de posse de bola - 5 finalizações certas;
Vasco 0 x 1 Defensa y Justicia - 48% de posse de bola - 5 finalizações certas;
Defensa y Justicia 1 x 1 Vasco - 28% de posse de bola - 2 finalizações certas;
Grêmio 4 x 0 Vasco - 45% de posse de bola - 3 finalizações certas;
Vasco 1 x 1 Fluminense - 50% de posse de bola - 6 finalizações certas;
Vasco 1 x 0 Santos - 38% de posse de bola - 2 finalizações certas;
Athletico-PR 3 x 0 Vasco - 40% de posse de bola - 5 finalizações certas.