Com o dedo de Zé Ricardo, Flamengo vence a Católica e fica perto da vaga

Paulo Victor Reis

O Flamengo encaminhou a sua classificação para a próxima fase da Libertadores na noite desta quarta-feira. O Rubro-Negro mostrou força e venceu a Universidad Católica, por 3 a 1, no Maracanã, num jogo "encardido" e complicado. O técnico Zé Ricardo teve papel fundamental no resultado, com alterações que mudaram o panorama da partida.

Na próxima rodada, o Flamengo encara o San Lorenzo, na Argentina. O Rubro-Negro jogará pelo empate para avançar às oitavas. Já a Católica recebe o Atlético-PR, no Chile.

O primeiro tempo teve chances claras para ambos os times. O Flamengo começou pressionando, como já era esperado, e esteve perto do gol com Guerrero. Voraz para balançar a rede, o peruano lutou muito, mas vacilou numa oportunidade clara, cara a cara com o goleiro Toselli.

A Universidad mostrou-se mais organizada do que no jogo da ida, no Chile, e criou a melhor chance da primeira etapa. Maripán deu um lindo passe para Fuenzalida, entre os zagueiros do Flamengo. O atacante ficou sozinho com Muralha, teve tempo para pensar, mas chutou, incrivelmente, para fora. Os visitantes assustaram ainda em outra jogada, num cruzamento, mas Santiago Silva não conseguiu completar para o gol.

Com um coro de mais de 50 mil vozes, qualquer lance de perigo ganhava um ar dramático. A luta de Guerrero em busca do gol era até comovente, mas faltava capricho. O peruano lutava muitas vezes sozinho, num dia em que o Flamengo atuou desfalcado de alguns jogadores importantes, como Diego e Berrío.

Zé Ricardo percebeu a baixa produtividade do setor de criação rubro-negro no primeiro tempo e lançou Rodinei no lugar de Mancuello. Avançado, na ponta direita, o camisa 2 mostrou estrela ao sair do banco de reservas e abriu o placar aos cinco minutos do segundo tempo, em rebote de falta cobrada por Guerrero.

Mesmo com a vantagem, o Flamengo seguiu em busca do segundo gol. Guerrero chegou perto em chute que bateu primeiro no chão e depois encobriu a meta. A Católica, por outro lado, demorou um pouco para se reorganizar. Na base do toque de bola, com paciência, os chilenos chegaram ao empate. Fuenzalida foi ao fundo, na direita, e cruzou para Santiago Silva deixar tudo igual aos 22 minutos. Rafael Vaz falhou no lance e não conseguiu evitar a chegada do adversário.

O Rubro-Negro respondeu aos 28, com gol de Guerrero. Decisivo, ele recebeu na área e chutou cruzado: 2 a 1. Mesmo em vantagem, o Flamengo não tinha tranquilidade. A Católica era perigosa e ameaçava em bolas aéreas. O alívio só veio aos 41 minutos, quando Trauco estufou o barbante em jogada de insistência, no segundo chute seguido ao gol. O curioso é que o camisa 13 passou a jogar mais avançado somente no segundo tempo, após uma alteração de Zé Ricardo. No fim das contas, o treinador foi decisivo.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 1 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Data/Hora: 3/5/2017, às 21h45
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Auxiliares: Raul Cruz (Peru) e Victor Raez (Peru)
Cartões amarelos: Pará, Réver (FLA); Maripán, Espinoza e Espinosa (UNC)
Público e renda: 61.363 presentes / 54.555 pagantes / R$ 3.314.405,00

Gols: Rodinei, 5'/2°T (1-0); Santiago Silva, 22'/2°T (1-1); Guerrero, 28'/2°T (2-1); Trauco, 41'/2°T (3-1)

Flamengo: Muralha, Pará, Réver, Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Arão e Mancuello (Rodinei, intervalo); Gabriel (Renê, 29'/2°T), Éverton (Cuéllar, 42'/2°T) e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo

Universidad Católica: Toselli, Espinoza, Álvarez (Magnasco, 26'/2°T), Maripán e Parot; Kalinski (Gutierrez, 34'/2°T), Fuentes (Espinosa, 7'/2°T) e Buonanotte; Fuenzalida, Noir e Santiago Silva. Técnico: Mario Salas




























E MAIS: