Com o brilho de Antony, São Paulo tem boa atuação e cumpre 'obrigação'

Alexandre Guariglia
LANCE!
Antony participou dos dois gols do São Paulo na vitória por 2 a 1 sobre o Inter (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Antony participou dos dois gols do São Paulo na vitória por 2 a 1 sobre o Inter (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)


O São Paulo entrou em campo nesta quarta-feira sabendo que uma vitória garantiria ao clube uma vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores, mas no último jogo em casa nesta temporada, o time quis dar ao torcedor não só o cumprimento de uma "obrigação", mas também uma bela atuação comandada pelo brilho de Antony, talvez em seus últimos atos no Morumbi.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

Antes de a partida começar, torcedores se reuniram em frente ao estádio para protestar contra os dirigentes e dizer, em um cartaz, que classificar para a Libertadores não é motivo de festa, mas sim obrigação. A pressão não poderia ser maior, mas quando o árbitro apitou o início do duelo, o nervosismo parecia todo do Internacional, adversário desta noite e na disputa pela vaga direta.

Os gaúchos foram a campo com três volantes, mas foi por ali que o Tricolor jogou como quis, principalmente com Igor Gomes, que jogou como se não tivesse marcação e foi assim que enfiou passe milimétrico para Antony, o nome do jogo, tocar com o pé esquerdo na saída de Marcelo Lomba, em uma finalização de almanaque. Placar aberto diante de um rival que errava demais.






Aliás, um mérito são-paulino nesta quarta-feira foi saber aproveitar a fragilidade do Inter, tanto na parte técnica quanto na parte tática. A vantagem no placar, ainda no primeiro tempo, poderia ter sido maior, se não fossem as chances desperdiçadas. Era preciso matar o jogo para evitar perigos fortuitos, como no chute de Nonato após jogada de Guerrero.

No início do segundo tempo, porém, a boa atuação foi coroada para aliviar a tensão do torcedor. Tchê Tchê lançou Antony no contra-ataque, o atacante ganhou de Edenílson na velocidade e na habilidade, enquanto Vitor Bueno acompanhava a jogada. No momento preciso, o camisa 39 rolou para o meia-atacante que com um toque de leve só tirou de Lomba e ampliou o marcador.

Daniel Alves, que no primeiro tempo quase deixou sua marca e se destacou, continuou a boa apresentação flutuando no meio-campo sem marcação. O ritmo de outros colegas, porém, acabou diminuindo, abrindo brecha para o Internacional encostar no placar com Guilherme Parede, após descuido tricolor que começou no setor ofensivo e não foi impedido pelo defensivo.

Um aspecto negativo da atuação do São Paulo, sem dúvidas, foi a participação de Pablo, visivelmente fora de ritmo de jogo, além de aparentar estar em outra frequência em relação aos companheiros. Se não fossem as chances desperdiçadas por ele e as bolas perdidas na frente, certamente a partida teria sido mais tranquila do que foi em sua parte final. O centroavante acabou sacado nos últimos minutos para a entrada de Luan, para fechar o meio.

Os visitantes ainda tentaram ir para cima com muitos atacantes, mas o São Paulo soube gastar a bola em momentos decisivos, apesar de alguns sustos desnecessários. Nesta quarta-feira era preciso vencer, mas também era necessário chamar a torcida para perto de volta, já pensando na próxima temporada. Com uma boa atuação e a obrigação cumprida, os objetivos foram atingidos e agora é planejar 2020 com calma para não repetir os erros de 2019.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também