Com infratores e sem banho, Arsenal descumpre orientação e retoma treinos

LUÍS CURRO
Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O isolamento social está em pleno vigor na Inglaterra, por ordem do governo sobre o qual impera a rainha Elizabeth.

Medida sensata em meio à pandemia do novo coronavírus, já que nem mesmo o premiê britânico, Boris Johnson, escapou de ser infectado – ele integra a lista dos quase 150 mil casos confirmados no Reino Unido.

O Arsenal, no entanto, decidiu violar a quarentena e a partir desta semana, conforme noticiou a ESPN, dará reinício aos treinamentos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Será a primeira agremiação inglesa a tentar voltar “à vida normal” depois das medidas restritivas impostas com o intuito de conter o avanço da Covid-19.

O clube londrino estabelecerá regras para que seus jogadores estejam seguros, ou o mais perto possível disso.

Eles irão individualmente, cada um em seu carro, ao centro de treinamento de Colney, em Hertfordshire (a cerca de 40 km de Londres), já vestidos com o equipamento de trabalho (camisas, calções, meias e chuteiras).

Depois de estacionar, vão direto para o campo. As demais instalações estarão fechadas, incluindo os vestiários e o restaurante.

Ou seja, nada daquela ducha imediata depois de correr e suar. Ao odor desagradável irá se somar o estômago vazio. As refeições não serão oferecidas e terão de ser feitas na casa de cada um, assim como o banho.

As atividades, primordialmente físicas, algumas com bola, ocorrerão em grupos pequenos, espalhados pelo campo, com os atletas respeitando o distanciamento de dois metros entre si.

Mesmo com esses cuidados, é questionável a decisão dos Gunners, devido aos riscos de contaminação, considerados ainda elevados pelas autoridades sanitárias.

Há a clara recomendação de que exercícios sejam feitos individualmente ou, no máximo, com quem se mora junto, e dentro da residência.

Ademais, reiniciar os treinos presenciais já para quê?

Não se sabe quando os atletas jogarão para valer, pois não houve decisão a respeito da retomada da Premier League, na qual o Arsenal ocupa a modesta, e incômoda para um clube grande, nona colocação.

O Campeonato Inglês realizou sua última partida no dia 9 de março, e não há data estipulada para o recomeço da competição, se é que ela será reiniciada –espera-se que sim, mas não antes de junho.

Há ainda o agravante de pelo menos quatro dos atletas do Arsenal terem recentemente rompido o isolamento, o que ampliou o perigo de terem adquirido o vírus, entre eles o zagueiro David Luiz, titular da seleção brasileira na Copa de 2014 –capitão do time no trágico 7 a 1 para a Alemanha.

Segundo noticiado por veículos de comunicação britânicos, como o Guardian, o brasileiro foi visto treinando com o suíço Xhaka, próximos um do outro, em um parque da capital inglesa.

O atacante marfinense Pépé jogou futebol com amigos –possivelmente vizinhos–, e o centroavante francês Lacazette foi fotografado interagindo com uma pessoa que foi até sua casa lavar seu automóvel.

Os quatro infratores receberam uma leve reprimenda do Arsenal, que reforçou a orientação governamental (orientação essa que o clube driblará), e ficou por isso mesmo.

Detalhe: o treinador do Arsenal, Mikel Arteta, esteve infectado com o coronavírus, em caso revelado no dia 12 de março. Ele teve sintomas e recuperou-se totalmente cerca de duas semanas depois, sem necessidade de internação.

Mais de 20 mil pessoas morreram até agora de Covid-19 no Reino Unido. No mundo, o número de óbitos se aproxima de 205 mil.

Leia também