Com Fonte Nova lotada, Bahia empata com Guarani e não conquista acesso antecipado

Guarani arrancou o empate no fim com o Bahia, pela Série B (Foto: Reprodução/SporTV)


Dependendo das próprias forças para garantir o acesso, o Bahia entrou em campo diante do Guarani com o apoio das arquibancadas lotadas da Arena Fonte Nova. Mas as coisas não saíram conforme o esperado pelo torcedor local. Impondo seu ritmo desde o começo, o Tricolor abriu a contagem no primeiro tempo, com Lucas Mugni, porém viu o Bugre igualar tudo na reta final de partida com Yuri, fechando a conta em 1 a 1.

Com o resultado, a equipe comandada por Eduardo Barroca chegou aos 59 pontos, assumindo a 3ª colocação. Já o time comandado por Mozart, por conta do tropeço fora de casa, acabou estacionando na 11ª posição agora com 48 pontos.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

APÓS GOL ANULADO, BAHIA MARCA DE PÊNALTI

Iniciando o jogo impondo pressão ao time do Guarani, o Bahia não perdeu tempo para balançar as redes. Aos 5 minutos, Davó até chegou a cabecear com precisão para marcar, porém a arbitragem acabou anulando o tento, flagrando uma posição de impedimento do atacante.

Entretanto, os donos da casa não desanimaram. Sendo assim, momentos depois, em um lance envolvendo Derlan em cima de Davó, Wilton Pereira Sampaio, após consulta ao VAR, marcou pênalti para explosão de felicidade da torcida. Na cobrança, Lucas Mugni, deslocando o goleiro Maurício Kozlinski, tratou de fazer 1 a 0 para o Tricolor.

ESQUADRÃO SEGUIA NO ATAQUE

O gol animou a equipe de vez, que passou a buscar o segundo aproveitamento o bom momento no jogo. Sendo assim, até os acréscimos, apenas de algumas tentativas por parte do Bugre, não dava sossego ao sistema defensivo rival, porém sem conseguiu converter em gol mantendo o 1 a 0 parcial.

GUARANI ADOTA POSTURA OFENSIVA

Com apenas o técnico Mozart apostando em uma modificação na volta para a etapa complementar, o Bugre não quis saber de sofrer pressão por parte do Bahia e foi para cima. Até meados dos 15 minutos, criou duas boas chances, sendo a melhor com João Victor, obrigando o goleiro Mateus Claus a mostrar serviço.

Vendo o rival melhor, o técnico Eduardo Barroca então optou por algumas substituições como as entradas de Ytalo, Raí Nascimento e Rezende. Sendo assim, até meados dos 30 minutos, voltou a ter o domínios das ações, quase conseguindo ampliar com o próprio Ytalo.

TIME PAULISTA IGUALA NO FIM

Já na reta final de confronto, os visitantes seguiam buscando seu tento de igualdade. Até que conseguiram. Após penalidade marcada por Wilton Pereira Sampaio, que ao consultar o VAR flagrou um toque de mão de Miqueias em chute de Mateus Ludke, fez com que Yuri Tanque, na cobrança, acertasse o canto direito sem chances para o camisa 77.

Já nos momento finais até os acréscimos, poucos foram os lances de perigo. Sendo assim, foi a deixa para a arbitragem encerrar o duelo na Fonte Nova, com direito a muita chateação do torcedor do Tricolor.

FICHA TÉCNICA
Bahia 1x1 Guarani


Data e horário: 28/10/2022 - 19h (de Brasília)
Local: Itaipava Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Bruno Boschilia (PR)
VAR: Wagner Reway (PB)

Cartões amarelos: Luiz Henrique, 1'/1ºT; Marcinho, 39'/1ºT; Giovanni Augusto, 46'/1ºT; Madison, 29'/2ºT

Gols: Lucas Mugni, 9'/1ºT (1-0); Yuri Tanque, 40'/2ºT (1-1)

BAHIA: Mateus Claus; Marcinho, Ignácio, Luiz Otávio e Luiz Henrique (Miqueias, aos 31'/2ºT); Patrick de Lucca, Lucas Mugni e Ricardo Goulart (Rezende, aos 17'/2ºT); Caio Vidal (Raí Nascimento, aos 17'/2ºT), Davó (Ytalo, aos 23'/2ºT) e Vitor Jacaré (Matheus Bahia, aos 31'/2ºT). (Técnico: Eduardo Barroca)

GUARANI: Maurício Kozlinski; Ivan Alavariño (Mateus Ludke, no intervalo), João Victor, Derlan e Jamerson; Leandro Vilela, Rodrigo Andrade (Madison, 21'/2ºT), Giovanni Augusto (Yuri Tanque, aos 32'/2ºT) e Isaque (Edson Carioca, aos 21'/2ºT); Yago (Bruno José, aos 21'/2ºT) e Jenison. (Técnico: Mozart)