Com desfile repleto de emoções, Gaviões da Fiel aborda a desigualdade social brasileira

·2 min de leitura
A Gaviões da Fiel tem quatro títulos do Carnaval em São Paulo - Foto: Vinicius Perazzini


A Gaviões da Fiel foi a segunda escola a pisar na avenida na segunda e última noite dos desfiles em São Paulo. A escola vinculada à maior torcida organizada do Corinthians cantou o samba-enredo ‘Basta!, abordando sobre injustiças sociais e as diversas escalas da divisão na sociedade.

A agremiação, que traz a apresentadora Sabrina Sato à frente da bateria, chegou no Anhembi com um enredo impactante sobre a desigualdade social e suas marcas. Contudo, a escola corintiana precisou aguardar por mais de 40 minutos para iniciar o desfile. Isso porque, a LigaSP limpava papéis picados que ficaram na pista após o desfile do Vai-Vai, que foi a primeira escola da noite a entrar no sambódromo, atrasando a Gaviões da Fiel.

O que se viu dentro do sambódromo foi uma forte crítica à injustiça social, com foco no fascismo e racismo. A torcida cantando em peso, em um espetáculo na arquibancada. Os carros alegóricos e as alas retratando várias situações de desigualdade, como ricos ignorando pobres, tiroteios em favelas e descaso na saúde pública.

Havia uma expectativa que a Gaviões da Fiel, levasse para a avenida uma sátira ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), em seu desfile neste sábado (22). No entanto, ficou apenas no campo da especulação. A escola já havia negado em nota oficial, uma suposta representação de 'Bolsonaro gay', afirmando se tratar de uma 'fake news'.

Após toda a polêmica, o cabeleireiro Neandro Ferreira, desfilou como 'governante fascista' em uma das alas da Gaviões da Fiel, onde continha integrantes vestidos de militares. Neandro vestia um terno com uma 'faixa presidencial' amarela e azul.

Violência ao término do desfile

Integrantes da Gaviões da Fiel se envolveram em uma confusão e invadiram um dos camarotes da sapucaí ao final do desfile da escola. A policia militar teve que intervir. Segundo integrantes da torcida alvinegra, membros da Império da Casa Verde que estavam em um camarote teriam jogado objetos contra os torcedores da Gaviões. A suposta agressão teria sido o estopim para a confusão. As informações são do site 'g1'.

Seguranças conseguiram conter o tumulto e a PM se posicionou no local. Ninguém foi detido ou retirado do Anhembi.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos