Com cinco lutas em 2018, 'Marreta' projeta descanso do UFC após enfrentar Manuwa

AgFight

Conhecido por não recusar lutas no UFC, Thiago ‘Marreta’ já entrou 16 vezes no octógono desde que assinou com a organização, em 2013. No entanto, o seu nome só ganhou mais visibilidade com o torcedor brasileiro este ano, quando protagonizou o evento do Ultimate realizado em São Paulo no mês de setembro. Agora escalado para enfrentar Jimi Manuwa no próximo sábado (8), em Toronto (Canadá), ele alcançará a marca de cinco combates apenas este ano. Entretanto, após este duelo, o atleta da ‘Tata Fight Team’ garante que precisará descansar por alguns meses.

Deste modo, apesar de ter a pretensão de repetir em 2019 o mesmo número de combates de 2018, ‘Marreta’ descartou a possibilidade de fazer parte do evento agendado para Fortaleza no dia 2 de fevereiro. Porém, em entrevista à reportagem da Ag. Fight, ele revelou que o seu retorno ao octógono no próximo ano poderá realmente ocorrer no Brasil, em um show ainda não oficializado pelo UFC, mas projetado para acontecer em maio, na cidade de Curitiba.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Então, vou dar uma descansada de dois ou três meses e quero recomeçar em março e depois voltar ao ritmo de novo. […] Dois meses parado eu não consigo ficar, mas vou tirar agora uma semana off. Quero viajar, desligar o celular, desligar tudo, ir para o meio do mato, que é o que eu gosto de fazer, ficar sem comunicação ao menos uma semana. Depois volto devagar, revejo a parte física”, contou, para depois revelar quando pretende retornar o octógono: “Por incrível que pareça, não está nos meus planos [lutar no UFC Fortaleza]. Eu penso mais em maio, em Curitiba”, projetou.

“Eu estando saudável quero sim [fazer cinco lutas em 2019]. Conseguir fazer cinco lutas em um ano é bom demais. Não muda muita coisa [a preparação em relação a quem faz menos lutas]. Você tem que tomar mais cuidado nos treinos para não se machucar, e tentar se manter o mais saudável possível. Evitar as lesões, mas se não estiver lesionado, não tem porque não lutar. Não sei porque alguns lutadores ficam tanto tempo sem lutar sem estar lesionados. Eu, se não estou lesionado, fico perturbando meu empresário para ele perturbar o UFC para eu conseguir lutar”, completou.

No UFC São Paulo, contra Eryk Anders, ‘Marreta’ estreou na divisão dos meio-pesados (93 kg), a mesma categoria em que lutará contra Manuwa neste sábado. Antigo peso-médio (84 kg), o carioca de 1,88 m sempre pareceu grande demais para a divisão anterior, em que passava por dificuldades para bater o peso – situação que o abalava física e mentalmente -, conforme relatou à Ag. Fight.

“É uma grande diferença, são quase 10 kg, então a gente não fica tão debilitado, o humor continua bom, então tudo isso com certeza faz diferença e influencia na luta. […] Eu só pensava no corte de peso, treinava duas vezes por dia na semana da luta, era realmente muito desgastante não só fisicamente quanto mentalmente. Aquele preocupação toda, aquele stress todo”, ressaltou.

“Você fica sem comer, então fica mal-humorado. Eu já sou um cara calado normalmente. De dieta, então, isso agrava mais ainda, ficava bem fechado, bem calado, na minha. Chateado com aquela situação toda, apesar de saber que faz parte, mas eu ficava bem mal-humorado. Então, agora treino uma vez por dia, um treino bem tranquilo”, concluiu.

Aos 34 anos, ‘Marreta’ vive o auge da carreira profissional. Após integrar o duelo principal de um evento em seu país, ele agora enfrentará Manuwa, o sétimo colocado no ranking oficial dos meio-pesados. Em caso de vitória, o brasileiro – que já acumulou 19 triunfos e seis derrotas no MMA – poderia figurar entre os dez primeiros na lista, o que o promoveria a possível aspirante ao cinturão, objeto que é o sonho de consumo de qualquer atleta do UFC.

Leia também