Com ataque eficiente, Fluminense encerra fase de grupos da Libertadores invicto fora de casa

·3 minuto de leitura


Na última terça-feira, o Fluminense fez história e venceu o River Plate por 3 a 1, no Estádio Monumental de Nuñez, conseguindo a classificação para às oitavas da Libertadores, em primeiro lugar do Grupo D. Além da vaga na próxima fase, o Tricolor conseguiu encerrar o tão intimidador 'grupo da morte' invicto fora de casa e com o ataque funcionando. Veja abaixo a retrospectiva do Flu longe do Rio de Janeiro na atual edição do torneio sul-americano.

> Confira a classificação da Libertadores

Três jogos, duas vitórias, um empate, seis gols marcados e apenas três sofridos. Tal frase poderia tranquilamente representar a campanha do Flu jogando no Maracanã, entretanto, o ótimo aproveitamento faz parte da boa retrospectiva do Tricolor fora de casa.

Comandado pelo poder de decisão de Fred, que participou diretamente de quatro tentos na casa dos adversários - dois gols e duas assistências -, o time de Roger Machado enfrentou adversidades e conseguiu se consolidar. Entre os times já classificados para às oitavas, por exemplo, o Tricolor só não tem melhor campanha fora de casa que o Palmeiras, única equipe a vencer os três duelos.

Além disso, contando que o Flu caiu no 'grupo da morte', com o gigante River Plate (ARG) e os tradicionais colombianos Junior Barranquilla e Santa Fe, o clube das Laranjeiras teve campanha superior a times como o São Paulo, o próprio River e o todo poderoso Boca Juniors. Iguais ao Fluminense neste quesito, somente Flamengo, Atlético-MG e Racing.

E qual a importância do bom aproveitamento fora de casa? Para a Conmebol, toda. Entre os critérios de desempate na fase de grupos, o fator do maior número de gols fora de casa, só perde para o saldo de gols entre as equipes e os gols marcados em confronto direto.

O desempenho se torna ainda mais valorizado, quando o time avança às fases de mata-mata, como aconteceu com o Fluminense. Ao analisar os já classificados em segundo lugar dos grupos - times que passam em primeiro só podem pegar os segundos colocados nas oitavas -, é possível se deparar com equipes que jogam suas vidas em seus domínios. São os casos de Cerro Porteño (PAR), Defensa y Justicia (ARG), River Plate (ARG), São Paulo, além do também argentino Vélez Sarsfield, que pode terminar atrás do Flamengo no Grupo G.

ATUAÇÕES: Fred tem noite de garçom e Caio Paulista decide na vitória do Fluminense

Assim, pensando na longínqua semana de 14 de julho, quando será o primeiro duelo das oitavas, um Fluminense já acostumado com grandes desafios, uma vez que enfrentou a altitude de Armênia e o imensurável Monumental de Nuñez, pode ter alguma vantagem na partida que for longe do Maracanã. Pelo menos no que se diz respeito à confiança de se impor.

- Estamos em êxtase. Só nós e o Cruzeiro vencemos aqui no Monumental e na Bomboneira. Não é fácil. É uma equipe com espírito, bem treinada, que está na prateleira de cima, principalmente na Libertadores, há seis anos. Vencer nos deixa feliz e com a sensação de que esse time pode fazer muito mais - disse Fred após a épica vitória em cima do River Plate, na Argentina.

Classificado em primeiro lugar do Grupo D da Libertadores, o Fluminense volta agora suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Isso porque, a equipe estreia no próximo sábado, às 21h (de Brasília), no Morumbi.