Coluna: Tricolor freia déficits seguidos e fecha 2016 no azul; bicho no Santos depende de vaga; Coxa descarta Guilherme...

Jorge Nicola
Venda de Ganso para o Sevilla ajudou Tricolor a fechar com R$ 1 milhão no azul (Divulgação)

Depois de dois anos com prejuízos pesados, o São Paulo registrou superávit na temporada de 2016. De acordo com Adilson Alves Martins, diretor financeiro do Tricolor, o lucro no ano passado ficou próximo de R$ 1 milhão. “Conseguimos reverter déficits enormes, de R$ 103 milhões em 2014 e R$ 70 milhões em 2015, com uma série de ajustes internos e com a política do presidente Leco”, explica Adilson.

O superávit são-paulino tem muito a ver com a venda de jogadores: entraram R$ 80 milhões nos cofres do clube, R$ 56 milhões a mais do que o orçado. O Tricolor ainda conseguiu reduzir a dívida de R$ 247 milhões para R$ 142 milhões ao longo de 2016. “Economizamos aproximadamente R$ 20 milhões somente com os juros da dívida”, emenda o diretor financeiro.

O balanço será apresentado ao Conselho Deliberativo no próximo mês. O Blog também apurou que a receita com o futebol, prevista para ser de R$ 303 milhões, superou os R$ 380 milhões. Porém, as despesas também foram quase R$ 80 milhões maiores do que o planejado.

Prêmio atrelado…
O torcedor santista ganhou um motivo a mais para confiar na classificação do Santos à fase de mata-mata do Paulistão. É que o presidente Modesto Roma mudou a forma de pagamento do bicho no estadual e os jogadores só ganharão prêmio caso terminem em 1º ou 2º no grupo.

…à classificação
Até o ano passado, os santistas ganhavam metade do bicho após cada vitória e o restante mediante classificação. “Nunca foi fácil ganhar bicho no Santos, mas está ficando cada vez mais difícil”, lamenta um jogador.

Sem negócio:
O Coritiba não chegou a um acordo com o Corinthians pelo empréstimo de Guilherme. O Coxa só se dispôs a pagar R$ 100 mil dos R$ 380 mil de salário que o meia-atacante recebe. Guilherme também não se empolgou com a ideia de jogar em Curitiba.

Dívida para depois:
Diante do desacerto, o Corinthians continua devendo R$ 1,4 milhão ao Coritiba pela compra de Kazim – já são duas parcelas em atraso. “Entendemos a crise que vive o país. O Corinthians ficou de acertar essa situação em breve”, explica o gerente do Coxa, Alex Brasil.

Dando asas:
A diretoria do Red Bull havia prometido R$ 20 mil para cada jogador em caso de vitória sobre o Corinthians – o time empatou em 1 a 1, na arena de Itaquera, nesta quinta. Nas últimas duas vitórias, sobre Audax e São Bernardo, o bicho foi de R$ 10 mil por cabeça.

Renan Montanha com a camisa do Internacional; zagueiro assinou contrato de três temporadas

No Colorado:
Horas depois de rescindir com o Santos, o zagueiro Renan Montanha acertou contrato de três anos com o Internacional. O negócio foi fechado pelo empresário Diogo Silva, da WebSoccer. Renan, de apenas 18 anos, surgiu no ABC e tinha outras três ofertas.

Proposta na mesa:
O técnico Jorginho tem uma oferta salarial de R$ 300 mil por mês para assumir o Coritiba. Jorginho está desempregado desde dezembro, quando deixou o Vasco. Já o Coxa tem sido treinado interinamente por Pachequinho desde a demissão de Carpegiani, em 27 de fevereiro.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: