Colômbia bate Equador em Quito, sobe na tabela e derruba adversário

Quito, 28 mar (EFE).- A seleção da Colômbia deu nesta terça-feira um passo importante rumo à Copa do Mundo de 2018 ao vencer o Equador por 2 a 0 em pleno Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, pelas Eliminatórias sul-americanas, enquanto os donos da casa continuam em queda na tabela e vão fechar a 14ª rodada fora da zona de classificação.

Com gols de James Rodríguez e Cuadrado, ambos marcados ainda no primeiro tempo, a equipe do técnico José Pekerman assumiu provisoriamente a vice-liderança da fase classificatória da Conmebol, com 24 pontos. Apesar de dependerem de outros resultados, os colombianos garantiram ao menos o terceiro lugar ao final do dia.

Os donos da casa, por outro lado, venceram apenas um dos últimos cinco jogos, contra a lanterna Venezuela, e vêm em queda na tabela. Pouco criativos e dependentes da bola parada, os comandados de Gustavo Quinteros têm 20 pontos e dificilmente manterão a quinta colocação, que leva à repescagem contra o representante da Oceania.

O Equador entrou em campo em casa com desfalques importantes. O meia Noboa e o atacante Miller Bolaños, do Grêmio, cumpriram suspensão por acúmulo de cartões amarelos recebidos na derrota para o Paraguai, por 2 a 1, na última quinta. Já a Colômbia, que já não vinha contando com o centroavante Falcao, teve a baixa do também atacante Muriel, machucado.

Entre os jogadores que atuam no Brasil, o volante Orejuela, do Fluminense, foi titular pelos anfitriões. Entre os visitantes, o zagueiro Yerry Mina e o atacante Borja, ambos do Palmeiras, começaram jogando, e o lateral-esquerdo Armero, do Bahia, ficou no banco.

A seleção dona da casa começou a partida pressionando no ataque, mas tinha dificuldades para encontrar brechas e entrar na área. A primeira chance de gol apareceu apenas aos 15 minutos da etapa inicial, quando Antonio Valencia foi derrubado por Yerry Mina na entrada da área. Na cobrança de falta ensaiada, Enner Valencia encheu o pé e tirou tinta da trave direita.

Um minuto depois, em uma de suas primeiras investida, os 'Cafeteros' balançaram a rede, mas o lance foi anulado. Borja tocou na área para Cardona, que, impedido, encobriu Dreer e fez o gol, bem invalidado.

Aos 19, a 'Tricolor' tentou novamente na bola parada, agora com Ayoví. O lateral-esquerdo arriscou de muito longe e Ospina se esticou todo para espalmar.

A resposta colombiana foi tão sortuda quanto fatal. No minuto seguinte, Borja disparou pela esquerda e mandou para a área. Ayoví tentou cortar em dividida com James Rodríguez, a bola bateu nas costas do jogador do Real Madrid e entrou.

A igualdade poderia ter acontecido aos 29, em mais uma infração a favor dos donos da casa. Oyola cruzou fechado e a defesa cortou apenas na segunda trave, cedendo o escanteio.

Com a vantagem no placar, a Colômbia esperava o momento certo para dar o bote, o que aconteceu aos 33 minutos. Cardona descolou ótimo lançamento na esquerda até James, que tocou para o meio da área entre três zagueiros e o goleiro para Cuadrado completar e fazer 2 a 0.

Os visitantes marcavam bem, e raramente o Equador invadia trocando passes. Em outra falta cobrada por Oyola, aos 40 minutos, Enner Valencia desviou de raspão, e Ospina segurou sem maiores problemas.

Nem parecia que eram os equatorianos que precisavam de gols, já que quem voltou dos vestiários atacando foram os 'Cafeteros'. Aos cinco minutos, na falta curta, James ajeitou e Cardona concluiu pela linha de fundo. Cinco minutos depois, Borja entrou na área em velocidade, caiu e reclamou de toque de Dreer, mas o argentino Néstor Pitana considerou que não houve pênalti.

A situação da seleção mandante já era complicada e piorou aos 15, quando ficou em desvantagem numérica. Luis Caicedo, que já tinha cartão amarelo, acertou um carrinho em Aguilar e foi expulso.

O Equador estava entregue, e a torcida visitante, mesmo pequena, gritava "olé". O teceiro por pouco não saiu aos 27, quando Aris puxou contra-ataque e serviu James. O camisa 10 driblou e passou para Borja chutar de primeira. Dreer fez grande defesa.

Na tentativa de aproveitar uma certa acomodação do aversário, a 'Tri' levou perigo aos 33, em batida de falta de longe de Cortez, que passou rente à trave esquerda. Na sequência, Felipe Caicedo, bastante apagado, foi lançado na corrida, mas Ospina saiu bem e afastou.

Pekerman queria mais um gol e colocou o atacante Bacca na vaga do lateral Arias. A última chance, no entanto, foi de Ayoví, para o Equador, mas a falta parou na barreira.


Ficha técnica:.

Equador: Dreer; Pineida, Arturo Mina, Luis Caicedo e Ayoví; Orejuela e Oyola (Achilier); Antonio Valencia, Enner Valencia (Cortez) e Mena (Marcos Caicedo); Felipe Caicedo. Técnico: Gustavo Quinteros.

Colômbia: Ospina; Arias (Bacca), Yerri Mina, Zapata e Díaz; Sánchez e Aguilar (Torres); Cuadrado, James Rodríguez e Cardona (Uribe); Borja. Técnico: José Pekerman.

Árbitro: Néstor Pitana (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Hernán Maidana e Juan Belatti.

Cartões amarelos: Luis Caicedo, Achilier e Orejuela (Equador); Zapata e Armero (Colômbia).

Cartão vermelho: Luis Caicedo (Equador).

Gols: James Rodríguez e Cuadrado (Colômbia).

Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (Equador). EFE