COI poderá atribuir simultaneamente sedes dos Jogos de 2024 e 2028

Símbolo olímpico em cafeteria localizada na Vila Olímpica e Paralímpica no Rio de Janeiro, no dia 23 de julho de 2016

O Comitê Olímpico Internacional (COI) abriu as portas para uma atribuição simultânea da sede dos Jogos Olímpicos de 2024 e 2028, com o objetivo de conservar "as duas excelentes candidaturas de Paris e Los Angeles", segundo o presidente da entidade, Thomas Bach, nesta sexta-feira.

As duas cidades reiteraram nas últimas semanas que suas candidaturas são unicamente para a edição de 2024 dos Jogos Olímpicos de Verão.

"Não temos comentários a fazer neste momento, porque neste momento nada mudou no processo de atribuição. Estamos concentrados no dia 13 de setembro e na atribuição dos Jogos-2024", informou nesta sexta-feira a candidatura parisiense.

Durante a reunião da comissão executiva do COI em Pyeoungchang (Coreia do Sul), sede dos Jogos de Inverno de 2018, Bach anunciou nesta sexta-feira a criação de um "grupo de trabalho" composto de quatro vice-presidentes da própria comissão executiva.

Esta equipe, que incluirá o australiano John Coates e o espanhol Juan Antonio Samaranch Junior, ficará encarregada de examinar as opções em relação ao processo de atribuição e apresentará suas propostas em uma apresentação das candidaturas de Los Angeles e Paris aos membros do COI, em julho em Lausana.

"Tudo está sobre a mesa, nenhuma opção foi descartada, isto inclui igualmente os processos de candidaturas para 2024 e 2028", comentou Bach.

Há meses se comenta no entorno olímpico a possibilidade de uma dupla atribuição dos Jogos de 2024 e 2028, durante a 130ª sessão do COI, em setembro em Lima, no Peru.

Esta mudança precisa de uma modificação da carta olímpica, que prevê que a cidade anfitriã seja anunciada sete anos antes dos Jogos, "salvo casos excepcionais".

"Com uma carta, sempre há brecha para interpretação, para adaptar as mudanças", completou Bach.

- Busca por estabilidade -

Uma dupla atribuição buscaria evitar que o COI perdesse Los Angeles ou Paris, que provavelmente renunciarão ao sonho olímpico em caso de fracasso na corrida por sediar os Jogos-2024.

Restaria saber em que ordem seriam atribuídos os Jogos. Paris e Los Angeles insistiram que seriam candidatas unicamente para 2024. A capital francesa lembrou que a data marcaria o centenário dos Jogos de 1924, lá celebrados.

"Temos a oportunidade, temos duas excelentes candidaturas de dois grandes países olímpicos", completou Bach.

"Quando olhamos para o mundo de hoje, vemos muita instabilidade, muita fragilidade, muitas incertezas. Vemos mudanças demais", continuou o alemão.

"Com duas sólidas candidaturas, estamos em uma situação estável. Agora, o grupo de trabalho explorará a melhor situação possível", continuou.

O constante aumento nos orçamentos das sedes dos Jogos transformaram o evento em algo praticamente proibitivo para muitas cidades.

A edição de Londres-2012 custou 10 bilhões de euros, enquanto o orçamento para Tóquio-2020 chegará aos 16 bilhões de euros, o equivalente ao PIB da Bósnia-Herzegóvina.