COI lança manual com proibições de manifestações políticas durante as Olimpíadas de Tóquio

O esgrimista americano Race Imboden sofreu punição por ajoelhar no pódio durante o Pan de Lima (Foto: AFP)
O esgrimista americano Race Imboden sofreu punição por ajoelhar no pódio durante o Pan de Lima (Foto: AFP)


O Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou um manual proibindo manifestações políticas durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, que serão realizados à partir de julho de 2020. Dentre as regras do manual está a proibição de se ajoelhar no pódio em forma de protesto ou fazer gestos com os punhos levantados durante as competições.

As medidas foram tomadas após o esgrimista americano Race Imboden se ajoelhar no pódio durante o Pan de Lima em protesto contra o presidente americano Donald Trump. O americano, assim como seu compatriota Gwen Berry, do atletismo, foram repreendidos e colocados em condicional por doze meses por atos políticos durante a competição.

O documento diz que o esporte deve ser neutro e afastado de interferências politicas, religiosas e de qualquer outra natureza. Os competidores que desrespeitarem as regras passarão por três rodadas de avaliação disciplinas com possível punição do COI. Contudo, os atletas ainda poderão se manifestar politicamente através de suas mídias sociais.

- Precisávamos de clareza, e eles queriam clareza nas regras. A maioria dos atletas sente que é muito importante respeitar os outros como atletas - disse Kirsty Coventry, presidente da Comissão dos Atletas do COI.







Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também