COI irá debater caso de doping na Rússia antes de decisão da Wada

Por Eric BERNAUDEAU
AFP
Sede do Comitê Olímpico Russo, em 23 de novembro de 2019 em Moscou
Sede do Comitê Olímpico Russo, em 23 de novembro de 2019 em Moscou

O dossiê russo será a principal pauta a ser debatida pela comissão executiva do COI, que tem previsão de se reunir na quinta-feira (5) em Lausanne, Suíça, a poucos dias do anúncio da decisão final da Agência Mundial Antidoping (Wada), esperada para 9 de dezembro.

O COI já tomou partido: na última terça-feira (26), no dia seguinte da recomendação de um comitê independente da Wada pra a suspensão da Rússia dos próximos Jogos Olímpicos, a entidade condenou com "a maior veemência" os atos "dos responsáveis da manipulação" dos dados do laboratório de Moscou.

O COI também garantiu que irá impor as punições "mais severas" contra "todos os responsáveis por esta manipulação".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

É evidente, porém, que a suspensão da Rússia dos próximos grandes eventos internacionais -principalmente os Jogos de Tóquio-2020- e a possível interdição de organizar competições no país provocam muitos debates e preocupações na mundo olímpico. "Temos Mundial de juniores na Rússia em 2020 e profissional em 2021, todos os contratos foram assinados", revelou um preocupado presidente de federação internacional que pediu anonimato.

Esse assunto sensível será a principal pauta do governo olímpico a partir de terça-feira na sede do COI, a seis dias da reunião do comitê executivo da Wada que terá como missão dar um veredito para as recomendações de seu comitê de revisão de conformidade (CRC).

Caso a Wada confirmar a longa lista de medidas recomendadas pelo CRC, a Rússia seria banida do esporte internacional por quatro anos, ficando de fora dos Jogos de Tóquio-2020 e dos Jogos de Inverno de Pequim-2022.

Excluída recentemente dos Jogos do Rio-2016 e de PyongChang-2018 devido ao vasto esquema institucional de doping colocado em prática para os Jogos de Sochi-2014, a Rússia afirma ser alvo de um complô "político" e tem o apoio de algumas federações esportivas internacionais, felizes de encontrar no país de Vladimir Putin os patrocinadores e as condições financeiras para organizar eventos que poucas outras nações podem oferecer.

- Surfe no Taiti -

O comitê executivo do COI também receberá na quarta-feira (4) um relatório do presidente da comissão de avaliação dos Jogos Olímpicos de Paris-2024, o belga Pierre-Olivier Beckers-Vieujant, e poderá debater a escolha do Taiti como local de disputa das provas de surfe em 2024.

Caso o COI validar esse opção, "a escolha do Taiti poderia ser adotada no próximo conselho de administração do Comitê de organização dos Jogos de Paris, em 12 de dezembro", explicou à AFP uma fonte próxima ao caso na sexta-feira.

A ilha da Polinésia francesa, porém, briga pelo direito de receber as provas de surfe com outras quatro candidatas, três localizadas no sudoeste do país (Biarritz, Lacanau e Hossegor-Seignosse-Capbreton) e uma na Bretanha (La Torche).

"Minha opinião pessoal é que se há duas candidaturas ou mais de um mesmo nível esportivo, eu prefiro claramente a opção que fica mais perto do centro dos Jogos para que os atletas e os espectadores possam usufruir da atmosfera dos Jogos", opinou o presidente do COI, Thomas Bach, em outubro.

Outro tema da reunião do COI será analisar um relatório dos Jogos de Tóquio sobre a polêmica mudança da maratona da capital japonesa para Sapporo.

Leia também