COI interrompe investigação contra norte-americana que protestou durante pódio nos Jogos Olímpicos

·1 minuto de leitura


Após abrir investigações contra a norte-americana Raven Saunders, o Comitê Olímpico Internacional suspendeu a iniciativa nesta quarta-feira. Ao subir no pódio para receber a medalha de prata no último domingo, a atleta do arremesso de peso fez um gesto de apoio às minorias, em ato que vai contra a recomendação do COI.

+ Ana Marcela Cunha é ouro na maratona aquática 10km feminino

Após receber a medalha, Raven ergueu os braços sobre a cabeça, e cruzou os punhos. Negra, mulher e lésbica, a atleta alegou que o gesto em 'X' significa o lugar em comum onde oprimidos da sociedade se encontram. O COI vetou protestos durante cerimônias de premiação e os liberou apenas durante coletivas de imprensa.

+ Thiago Braz celebra o bronze e lembra: 'Nada foi fácil nesses cinco anos'

No entanto, o COI decidiu suspender as investigações um dia depois de abri-las. 'Mulher Hulk', como é conhecida, Raven dividiu o pódio com a chinesa Lijiao Gong, que ficou com o ouro, e Valerie Adams, da Nova Zelândia, que ficou com o bronze. A decisão pela interrupção da investigação foi comunicada pelo porta-voz do COI, Mark Adams.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos