COI estabelece prazo de 4 semanas para decidir sobre adiamento da Olimpíada

Folhapress
***FOTO DE ARQUIVO*** Rio de Janeiro, RJ, BRASIL. 14 /08/ 2016; Presidente do COI Thomas Bach comparece a evento no Palácio da Cidade em Homenagem aos morto no atentado terrorista que matou 11 pessoas na Vila Olimpica de Munique. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** Rio de Janeiro, RJ, BRASIL. 14 /08/ 2016; Presidente do COI Thomas Bach comparece a evento no Palácio da Cidade em Homenagem aos morto no atentado terrorista que matou 11 pessoas na Vila Olimpica de Munique. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, anunciou neste domingo (22), em carta aos atletas olímpicos, que a entidade deve se posicionar sobre um eventual adiamento dos Jogos por causa da pandemia de coronavírus em quatro semanas. É a primeira vez que a entidade fala abertamente em adiar os Jogos.

"Começamos discussões para avaliar a como se desenvolve a situação sanitária no mundo e o seu impacto na Olimpíada, considerando um cenário de adiamento. Trabalhamos duro para terminar essas discussões em até quatro semanas", diz um trecho da carta. O comunicado também afirma que uma decisão final hoje ainda seria prematura.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Na mesma carta, Bach descartou o cancelamento dos Jogos, alegando que esse tipo de medida não resolveria nenhum problema ou ajudaria alguém.

O comunicado marca, ainda, uma mudança de postura do comitê. Agora, o órgão enfatiza que a prioridade é deter a pandemia. Antes, pedia que os atletas seguissem treinando.

Nos últimos dias, comitês olímpicos nacionais, inclusive o brasileiro, e atletas, têm pressionado o órgão a adiar os Jogos por causa da pandemia.

Leia também