COI apela à "comunicação" diante do coronavírus antes de Tóquio-2020

AFP
Um grande trabalho de comunicação está planejado à medida em que o vírus se espalha antes dos Jogos de Tóquio-2020
Um grande trabalho de comunicação está planejado à medida em que o vírus se espalha antes dos Jogos de Tóquio-2020

Deixando claro que os Jogos de Tóquio 2020 não estão ameaçados, o Comitê Olímpico Internacional admitiu nesta sexta-feira que tem "um ótimo trabalho de comunicação" pela frente para informar que não há riscos em relação à epidemia de coronavírus que já causou 1400 mortes, a maioria na China.

A primeira morte no Japão de uma pessoa contaminada foi anunciada na quinta-feira, uma mulher de 80 anos que morava em uma região perto de Tóquio.

Com 33 casos no país e mais de 200 pessoas em quarentena, em um navio perto de Yokohama, o Japão é o país mais afetado depois da China.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"O conselho que recebemos da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que não há razão para fazer um plano de emergência para o cancelamento ou a realocação dos Jogos", disse John Coates, presidente do comitê de coordenação do COI, em entrevista coletiva.

"Mas é claro que há um ótimo trabalho de comunicação a ser feito", acrescentou o dirigente, referindo-se a um possível medo entre os atletas em relação à delegação chinesa, que deverá ter 600 atletas em Tóquio.

"O COI enviará kits de informações a todos os comitês olímpicos nacionais para explicar o que acontece onde atletas chineses competem", prosseguiu o australiano.

Coates enfatizou que as lições dos Jogos Rio-2016 serão úteis. Há quatro anos, a preocupação que surgiu com o vírus Zika causou o abandono de vários atletas, incluindo os golfistas Jason Day e Rory McIlroy.

Na quinta-feira, o presidente do comitê organizador dos Jogos de Tóquio, Yoshiro Mori, criticou "os rumores irresponsáveis", insistindo que não havia planos de "adiar ou cancelar os Jogos" devido à epidemia.

"Queremos coordenar com o governo nacional e reagir com calma", acrescentou.

Durante a reunião com os membros do COI, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, prometeu "medidas rigorosas" para proteger a população contra o novo coronavírus, covid-19, pouco mais de cinco meses antes do início dos Jogos.

A epidemia já causou o cancelamento, o remanejamento ou o adiamento de uma série de competições esportivas, principalmente na China, incluindo algumas eliminatórias para os Jogos.

Leia também