Coelho comenta 'vício' defensivo e exalta mudança de postura do Timão

Yago Rudá
LANCE!
Dyego Coelho se despede do time profissional do Corinthians neste domingo. Semana que vem, o treinador volta para as categorias de base (Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)
Dyego Coelho se despede do time profissional do Corinthians neste domingo. Semana que vem, o treinador volta para as categorias de base (Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)


O Corinthians encontra dificuldades para mudar seu estilo de jogo. Depois de uma temporada quase inteira atuando com uma postura defensiva, o Timão passa por uma mudança sob o comando do interino Dyego Coelho. Mesmo satisfeito com a entrega do elenco às suas ordens, o treinador confessou que não tem tempo suficiente para colocar todas suas ideias em prática.

- É um time que não vinha jogando para frente. É um time que tem um vício de ficar com a bola e não agredir no último terço. Às vezes a gente até comenta lá dentro. O treino foi puxado para isso. Claro que algumas situações a gente não enxergava. É tudo muito novo e eles (jogadores) conseguiram fazer tudo tão rápido. Tem que ser muito mais intenso agora porque temos dificuldade no último terço. Para ganhar o jogo temos que ser agressivos em todos os cantos, especialmente no último terço - explicou o treinador em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava.

Na próxima quarta, às 21h30, o Corinthians mede forças com o Avaí em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Brigando por uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem, o Timão não pode perder pontos em casa, já que o Goiás - o nono colocado - está apenas quatro pontos de distância. Apesar disso, a equipe não abrirá mão de seu estilo ofensivo.

- Vou ser bem sincero: nós precisamos ganhar o jogo. Não quero saber se vai jogar bem ou vai jogar mal. A maneira agressiva que a gente joga faz com que a gente jogue bem. A grande situação, a principal situação é essa. O treino traz isso. Querendo ou não vamos ter uma situação ofensiva. Vamos ter um jogo mais gostoso de se ver. Independentemente disso, vamos atrás da vitória. Isso é o mais importante - pontuou o treinador, que trabalha diariamente para recolocar o Corinthians na principal competição do continente.

Para o duelo deste meio de semana, o Alvinegro tem algumas dúvidas. O centroavante Mauro Boselli se recupera de uma contratura muscular na coxa direita e talvez não jogue. A provável escalação do Corinthians para o duelo com o Avaí tem Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel e Júnior Urso; Clayson, Pedrinho e Janderson; Mauro Boselli (Vagner Love).

TABELA

>Confira a classificação atualizada do Campeonato Brasileiro









Confira outros trechos da entrevista coletiva de Dyego Coelho:

Mudança de estilo de jogo


Eles sabem da dificuldade que é. O jogo do Botafogo deu para perceber que eles foram para cima. O que eles fizeram mostra o quanto que eles estão interessados mostra nessa vaga. É de tirar de chapéu. Eles e qualquer pessoa da comissão querem essa vaga na Copa Libertadores.

O Corinthians comemorou o título do Flamengo, já que abriu mais uma vaga no Campeonato Brasileiro?
Não. A gente procura o nosso trabalho. Eles mesmo chegaram e falaram que não era para relaxar. Nossa meta é ganhar o próximo jogo e fazer bem o nosso trabalho.

Receptividade da torcida
Na verdade, não estou nem saindo de casa. Estou com saudades das minhas filhas. Recebi umas mensagens muito bacanas de apoio. Recebo mensagens de incentivo, pedindo para ganhar o jogo, para colocar o time para frente. Enquanto eu estiver aqui, o Corinthians vai jogar para frente.

Sobre a dificuldade em conseguir trocar o estilo de jogo do Corinthians
Não deu certo. Ela é muito forte. Até assimilar tudo aquilo demora. Tivemos esse exemplo na base. Demorou um mês ou dois para colocarmos os meninos para entenderem. Os jogadores precisam ser valorizados para entenderem essa mudança. Os jogadores têm grande parcela nisso. Esse pouco tempo que tivemos deu para ver a mudança e isso me deixa mais confortável. Eles compraram uma ideia e sei que se tivéssemos mais tempo, não iríamos oscilar tanto. Eles conseguem fazer as coisas funcionarem para o clube.

Sobre o Everaldo
O Everaldo tem uma situação de final de reabilitação e estamos em fim de temporada. Temos que ter cuidado. Ele está em final de preparação para voltar 100% fisicamente.

Sobre o Boselli
O caso do Boselli depende do rendimento dele. Se estiver bem, vai para o jogo.
Foco do Corinthians O que eu tenho falado para eles é que o nosso momento, é o nosso momento. Quem faz as situações funcionarem aqui dentro, sou eu junto com os jogadores. O nosso foco é a Libertadores, é o próximo treino, é o próximo jogo. Temos que focar nisso e é isso que eles estão tentando fazer. Vejo eles focados demais com isso.

É justo o futebol brasileiro ter oito vagas na Copa Libertadores? Qual sua opinião?
O futebol brasileiro é bom. Na minha opinião, é muito bom. Ele é muito competitivo. Vejo como algo positivo ter esse número de times na Libertadores. Se eles merecem ou não, só o futebol pode falar isso. Espero que o Corinthians esteja na Libertadores.

Treinos de finalização e cobranças de falta
A grande questão de se fazer finalização. A gente procura fazer, mas quando a gente procura fazer finalização e bola parada a gente faz antes. É melhor fazer antes porque está mais concentrado. Treino de cobrança de falta não precisa estar todo mundo. Os jogadores pedem e quando isso acontece a gente faz.























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também