Clubes ingleses vão fazer três dias de 'apagão' nas redes sociais contra o racismo

·1 minuto de leitura
(arquivo) Os atacantes do Manchester United Marcus Rashford e Anthony Martial (C) se ajoelham contra o racismo antes de uma partida da Premier League contra o Sheffield United no estádio Old Trafford em 27 de janeiro de 2021

Os clubes de futebol ingleses farão um 'apagão' total nas redes sociais durante três dias no próximo fim de semana para protestar contra os insultos racistas a que os jogadores são submetidos nessas plataformas, anunciaram seus órgãos dirigentes neste sábado.

Este apagão, no qual estarão envolvidos os clubes da Premier League, da segunda divisão e da Super League feminina, terá início na sexta-feira, dia 30 de abril, às 11h00 (horário de Brasília) e terminará na segunda-feira, dia 3 de maio, às 19:59 (Brasília).

Esta ação ocorre "em resposta aos contínuos abusos discriminatórios recebidos na internet por jogadores e por muitas outras pessoas relacionadas ao futebol", indicaram os responsáveis pelo futebol inglês em um comunicado conjunto.

Vários jogadores negros vestindo as camisas do Manchester United, como Anthony Martial e Marcus Rashford, assim como Reece James do Chelsea, foram alvos de insultos e ataques nas redes sociais desde o início do ano.

No dia 11 de fevereiro, em uma carta aberta ao CEO do Twitter Jack Dorsey e ao dono do Facebook, Mark Zuckerberg, os responsáveis pelo futebol inglês pediram ação "por razões de simples decência humana".

Esta decisão se segue à que foi tomada pelo Rangers escocês e pelos clubes da Liga Inglesa de Futebol, Birmingham e Swansea, cujos jogadores Yan Dhanda, Ben Cabango e Jamal Lowe foram recentemente vítimas de insultos racistas na internet.

jdg/dj/dep/iga/eb/mcd/aam