Vôlei: Clubes aprovam a manutenção do ranking para temporada seguinte

Reunião realizada em São Paulo contou com representante dos 10 clubes já classificados para a Superliga 17/18 e da comissão de atletas

Nesta sexta-feira, em São Paulo (SP), uma reunião com representantes dos 10 clubes classificados para a Superliga masculina de vôlei 2017/2018, além do vice-presidente da Comissão de Atletas, eleito pelos próprios jogadores, Gilmar Teixeira (Kid), definiu novas diretrizes para o ranking que será utilizado na próxima temporada. Por votação dos clubes, ficou definida a manutenção do ranqueamento dos atletas.

Uma novidade no ranking para a próxima temporada é a soma de pontos possíveis por clube. O limite se mantém em 40 no máximo, mas cada equipe não pode somar menos de cinco pontos. A quantidade de até três atletas de sete pontos por clube também fica mantido. Outro detalhe que segue como nas edições anteriores é o total de atletas estrangeiros, que continua dois por time.

Os clubes presentes na votação foram Sada/Cruzeiro (MG), Vôlei Brasil Kirin (SP), SESI-SP, Funvic/Taubaté (SP), JF Vôlei (MG), Minas Tênis Clube (MG), Montes Claros (MG), Lebes/Gedore/Canoas (RS), Copel Telecom Maringá (PR) e Bento Vôlei Isabela (RS) (que votou por meio de procuração).

O ranking oficial foi implantado na temporada 92/93, com o objetivo de gerar equilíbrio entre os times participantes da competição, com limite na pontuação geral para a formação de seus elencos. Os jogadores podem valer de zero a sete pontos. A tabela com a pontuação de cada atleta estará disponível em breve.





E MAIS: