2 - Clube se acerta com América para ter estádio no Carioca e Brasileiro

LEO BURLÁ

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Com a conclusão da primeira fase das obras do estádio Giulitte Coutinho já finalizada e o campo liberado para uso, Fluminense e América já discutem um novo contrato para a prorrogação da parceria entre os clubes.

O acordo vai até o fim do Campeonato Carioca, mas o interesse na continuidade sempre foi mútuo. Foi o clube tricolor o responsável por bancar as intervenções necessárias no local após a cobertura de uma das arquibancadas tombar devido a uma tempestade ocorrida na região. Foram necessárias a remoção e o transporte de uma grande quantidade de entulho que danificou parte da estrutura de alvenaria.

Além da disposição em ajudar financeiramente na recuperação estrutural do espaço, o Flu também contribuiu na obtenção de laudos e licenças necessárias. Foi de responsabilidade tricolor conseguir o Laudo de Proteção contra Incêndio (LPCI) e também o do Corpo de Bombeiros, ambos já expedidos.

"O Fluminense já iniciou conversas para extensão do vínculo. Ambas as partes demonstraram interesse, o que facilita bastante as tratativas", confirmou o presidente Pedro Abad.

"O novo contrato pode durar até mais do que um ano. O próximo passo para recuperarmos o estádio é a recolocação da cobertura da arquibancada que foi destruída pela chuva, mas nada mais impede a realização de jogos", complementou Marco Antônio Teixeira, diretor-executivo de futebol rubro.

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) já marcou a partida entre Fluminense e Criciúma para Édson Passos, e as equipes decidirão na Baixada Fluminense uma vaga para a quarta fase da Copa do Brasil.

Sem o Maracanã, o campo do América foi considerado uma arma importante dos tricolores no Campeonato Brasileiro de 2016, já que dirigentes e jogadores aprovaram o "fator caldeirão" criado na casa americana.