Cleiton Xavier vê Lucas Lima como 10 do Palmeiras e elogia Luxa e Dudu

William Correia
LANCE!


Com exceção de poucos meses em 2015, Cleiton Xavier utilizou a camisa 10 do Palmeiras em toda a sua trajetória no Palmeiras, entre 2009 e 2010 e de 2015 a 2016. Deixou marcas como golaço que classificou o time na LIbertadores de 11 anos atrás e o melhor início da história, com cinco gols em seus cinco primeiros jogos, como Tupãzinho e Humberto Tozzi nos anos 1960, além de ter usado a 10 nos títulos da Copa do Brasil de 2015 do Brasileiro de 2016. E acredita que quem pode exercer a função é Lucas Lima. Muito por Vanderlei Luxemburgo.

Comandado pelo atual técnico do Verdão na primeira metade de 2009, Cleiton Xavier confia plenamente no perfil motivador de Luxemburgo. Em conversa com o LANCE!, o ex-meia, que se aposentou em 2018 e acumulou 142 partidas e 21 gols pelo Palmeiras, ressaltou como o treinador ajudou na Libertadores de 11 anos atrás, quando a equipe estava em um grupo formado por Colo-Colo, do Chile, LDU, do Equador, e Sport, então campeão da Copa do Brasil e invicto em casa há mais de ano. E o Verdão perdeu as duas primeiras partidas.

- O Vanderlei é muito inteligente. É um motivador nato, um dos melhores nessa área. Sabe como extrair o melhor de cada um. Em 2009, estávamos no grupo da morte, todo jogo tomou uma proporção de final, e o Vanderlei tranquilizou. Disse que ninguém acreditava, que nos davam como fora da Libertadores, mas era para acreditar, porque iríamos passar de fase e mostraríamos para nós mesmos a nossa condição - lembrou Cleiton, já elogiando o atual treinador.

- O time é muito bom, e ele já está fazendo dar certo. O Palmeiras já joga melhor do que no ano passado. Como torcedor palmeirense, acredito muito que o Vanderlei vai dar certo. Os jogadores são muito bons. Faltava, talvez, esse cara para extrair o melhor de cada um, tirar o que tem de bom. O Palmeiras vai ganhar algo neste ano - apostou.

Cleiton Xavier acredita que Lucas Lima é quem está mais adequado à função de camisa 10 no elenco e já melhorou sob o comando de Luxemburgo. Contudo, o ex-meia sorri ao falar de Dudu, seu companheiro no Palmeiras entre 2015 e 2016 e que acabou sendo o armador nas últimas partidas antes da paralisação do futebol por conta da pandemia do coronavírus.

- Ninguém acreditava, o Lucas Lima já estava para baixo, mas o Vanderlei o colocou para jogar e ele já está bem melhor do que quando chegou. Vai se recuperar do jogo um pouco abaixo que vinha fazendo. O Gustavo Scarpa e o Raphael Veiga são mais de lado, rápidos, gostam mais de conduzir a bola. O Lucas Lima é quem mais se encaixa e tem mais cara de camisa 10, com passe preciso para deixar um companheiro na cara do gol - analisou Cleiton.

- Mas o Baixinho é diferenciado justamente por isso. Bota na direita, ele dá conta. Na esquerda, nem se fala. No meio, ele joga. No ataque, como centroavante, dá jogo. O Dudu é o cara do time. Por isso que, nos últimos anos, desde que voltei, em 2015, vem arrebentando e é o maior ídolo do atual elenco - enalteceu o ex-meia, que está em São José da Tapera, no interior de Alagoas, onde nasceu e mantém a "Escolinha CX10" para crianças carentes.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também